PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Governo disponibiliza R$ 90 milhões para repor estragos; já são 44 mortes

Governador Romeu Zema, de Minas Gerais, quer apoio federal para ações emergenciais e, após as chuvas, recursos para reconstrução das áreas afetadas. Já são 38 mortes e quantidade de chuvas é a maior já registrada no Estado desde que começaram as medições

19:57 | 26/01/2020
Firefighters search for missing persons using a hydraulic dismantling technique, which uses water to disperse mud, after a landslide in Vila Bernadete, Belo Horizonte, Minas Gerais state, Brazil, on January 26, 2020. - A landslide buried several houses in Vila Bernadete Friday, leaving 4 dead and 7 missing. Two days of torrential rains in Minas Gerais state have left at least 30 people killed, several injured, 17 missing and more than 2,500 homeless following a series of landslides and house collapses, Civil Defence officials said. (Photo by DOUGLAS MAGNO / AFP)
Firefighters search for missing persons using a hydraulic dismantling technique, which uses water to disperse mud, after a landslide in Vila Bernadete, Belo Horizonte, Minas Gerais state, Brazil, on January 26, 2020. - A landslide buried several houses in Vila Bernadete Friday, leaving 4 dead and 7 missing. Two days of torrential rains in Minas Gerais state have left at least 30 people killed, several injured, 17 missing and more than 2,500 homeless following a series of landslides and house collapses, Civil Defence officials said. (Photo by DOUGLAS MAGNO / AFP) (Foto: DOUGLAS MAGNO / AFP)

Atualizada às 21h47min

O Governo Federal tem R$ 90 milhões disponíveis para liberação imediata aos municípios atingidos por chuvas desde 17 de abril. A informação é do ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto. Neste domingo, 26, o ministro esteve em Belo Horizonte em reunião com o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, e com prefeitos de cidades atingidas pelas chuvas. De acordo com ele, há possibilidade de aumentar os recursos com remanejamento orçamentário.

O número de mortos em decorrência das chuvas em Minas Gerais subiu para 44, segundo a Defesa Civil. Treze mortes aconteceram em Belo Horizonte. Há 13.887 desalojados no Estado e 3.354 desabrigados. São 19 desaparecidos até o momento e 12 feridos.

Técnicos do ministério estão à disposição das prefeituras municipais para capacitar e ajudar municípios na solicitação formal dos recursos emergenciais. “É essencial preparar as cidades”, disse o ministro em entrevista coletiva em Belo Horizonte. Segundo ele, o objetivo “é não deixar que os papéis atrapalhem neste momento”. O governo deverá publicar ato reconhecendo a situação dos municípios para a liberação dos recursos.

Além dos recursos emergenciais, Canuto descreveu que será antecipado o pagamento do Bolsa Família para famílias atingidas que estão inscritas no programa. Pessoas afetadas também poderão fazer saques no Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Em outra frente de atendimento à população, o ministério da Saúde está distribuindo medicamentos necessários e identificando hospitais do SUS para atendimento de necessitados.

De acordo com Romeu Zema, “a quantidade de chuvas ( em Minas) foi a maior da história desde que se iniciou a medição”. O governador quer apoio federal para ações emergenciais e, após as chuvas, recursos para reconstrução das áreas afetadas.

Conforme Zema, que fez um sobrevoo na região, os pontos mais atingidos são aqueles que têm ocupação desordenadas e algumas pessoas vivem em “verdadeiros despenhadeiros”. Ele declarou ainda que a solução do problema é de longo prazo, como um “plano habitacional”.

Em Minas Gerais, 47 municípios tiveram estado de emergência decretado pelo governo estadual. No Espírito Santo, 22 cidades estão sob alerta de risco “alto” conforme a Defesa Civil.

Bolsonaro: "Fazendo o possível"

Em viagem oficial à Índia, o presidente Jair Bolsonaro disse à imprensa que tem conversado com o vice-presidente Hamilton Mourão e com o ministro do Desenvolvimento Regional sobre a crise vivida tanto em Minas Gerais quanto no Espírito Santo em razão das fortes chuvas.

“Mandei recado pro Mourão, ele está tomando providência. As Forças Armadas estão agindo em Minas Gerais e no Espírito Santo, fazendo o possível. Entrei em contato com o Canuto, ele já está ligado no tocante a isso. Agora, é uma área muito grande que foi atingida, é difícil atender a todos, mas estamos fazendo o possível”.