PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Militares são feridos em perseguição a garimpeiros em terra Ianomâmi

Um dos soldados teve as costas perfuradas, mas passou por cirurgia e permanece estável

09:17 | 13/01/2020
Exército abriu inquérito para apurar responsabilidade criminal dos garimpeiros, além de identificar e capturar os acusados.
Exército abriu inquérito para apurar responsabilidade criminal dos garimpeiros, além de identificar e capturar os acusados. (Foto: Divulgação/Exército)

Dois militares do Exército ficaram feridos na noite deste sábado, 11, durante perseguição a garimpeiros em Roraima. Os garimpeiros estariam atuando no rio Uraricoera, região da terra indígena Ianomâmi. De acordo com o Exército, um dos cabos teve as costas perfuradas por hélice do motor da embarcação dos garimpeiros, e outro ficou ferido no rosto. O soldado com as perfurações já passou por cirurgia e está estável, internado em um hospital local. As informações são do jornal G1.

Leia mais: Polícia Federal investiga grupo que vende armas a garimpeiros em terras indígenas

No domingo, 12, a 1ª Brigada de Infantaria de Selva informou que três embarcações com garimpeiros tentavam subir o rio sem passar pelo posto de fiscalização do Exército. Militares seguiram as embarcações em dois barcos nos quais, segundo o Exército, os garimpeiros se chocaram intencionalmente.

O comando da Força determinou a instauração de Inquérito Policial Militar para apurar a "responsabilidade criminal dos garimpeiros", e para realizar operações de identificação e captura dos acusados.

O episódio ocorreu dois dias depois que 15 garimpeiros foram presos pelo Exército quando tentavam invadir terra indígena Ianomâmi com materiais de garimpo ilegal. Seis barcos foram apreendidos e um garimpeiros se feriu.