PUBLICIDADE
Brasil
Noticia

Em carta ao Papai Noel, menino pede cesta de alimentos para a família

Gabriel tem apenas 10 anos e poderia ter pedido brinquedo ao Papai Noel, mas o que ele solicitou na cartinha foi uma alimentação digna para a família e dois pares de chinelos

Walber Freitas
14:29 | 21/11/2019
Momento em que Gabriel recebe os pedidos dos policiais
Momento em que Gabriel recebe os pedidos dos policiais (Foto: Reprodução/Instagram/@razoesparaacreditar)

Nem era brinquedo, muito menos um jogo tecnológico, Gabriel, de apenas 10 anos, pediu uma cesta de alimentos para a família em carta escrita ao Papai Noel. Entregue a policiais militares de Peruíbe, no litoral de São Paulo, a correspondência deveria ser entregue aos Correios, mas acabou sensibilizando o batalhão policial da cidade.

“Papai Noel, mande aqui para a minha casa uma cesta de alimentos”, pediu o menino. A mãe solicitou aos policiais que patrulhavam a área que levassem a carta, mas não sabiam a quem ela estava endereçada.

Clique na imagem para abrir a galeria

“Ela [a mãe do garoto] não explicou muito, só pediu para levar. Quando olhei atrás, o remetente era o Papai Noel. Imediatamente, sabíamos que a carta iria para a campanha de Natal dos Correios. A mãe do menino viu a viatura em patrulhamento e pediu ajuda. Pensamos até que era alguma ocorrência, mas ela pediu que a gente levasse uma carta a uma agência dos Correios na cidade”, conta o soldado Fabiano Santil, em entrevista à TV Tribuna, afiliada da Rede Globo.

A campanha Papai Noel dos Correios recebe cartinhas que são enviadas para diversas empresas do País. Um funcionário adota e presenteia a criança.

Mas, os policiais acabaram abrindo a carta e se emocionaram com os pedidos, o que levou ao batalhão inteiro a presentear Gabriel.

“Nós esperávamos ler a carta com um pedido de brinquedo, algum jogo e, quando abrimos, ele pedia comida para a família passar o Natal e dois pares de chinelo, um para ele e outro para o irmão, que tem autismo. Me deu um nó na garganta. Nós temos filhos e é muito triste ver uma criança pedindo comida para a família”, detalha o soldado Fabiano Santil.

Foi então que os policiais compraram uma cesta básica e os calçados pedidos, além de doces. Segundo Fabiano, durante a entrega, que aconteceu no mesmo dia, as crianças ficaram felizes.