PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Livro que Marcelo Crivella mandou recolher se esgota na Bienal do Livro em menos de meia hora

Crivella mandou recolher por acreditar que a obra apresentava conteúdo sexual para menores de idade

12:08 | 06/09/2019
A HQ mostra cenas de um casal homossexual, formado por dois homens, que estavam se beijando e trocando carícias.
A HQ mostra cenas de um casal homossexual, formado por dois homens, que estavam se beijando e trocando carícias. (Foto: Reprodução)

Após o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), mandar a organização da Bienal do Livro do Rio recolher dos estandes os exemplares de Vingadores - A Cruzada das Crianças, nessa quinta-feira, 5, obra da Marvel Comics, por acreditar que a história em quadrinhos traz "conteúdo sexual para menores", a organização do evento decidiu não suspender a exposição do material dos estandes, possibilitando a livre comercialização do livro, que esgotou em pouco mais de meia hora após o início das vendas.

Crivella havia recomendado também que as HQs fossem vendidas apenas em uma embalagem plástica de cor preta, estando lacrada e "com aviso sobre seu conteúdo". Nos quadrinhos aparecem imagens de um casal homossexual, formado por dois homens, que estavam se beijando e trocando carícias.

Lançado em 2010, o livro não é destinado ao público infantil, porém, antes da manifestação de Crivella, vereadores da cidade haviam pedido seu recolhimento da Bienal, sob a alegação de que poderia “despertar a atenção” de crianças presentes no evento.

Em nota divulgada ainda na noite dessa quinta-feira, 5, a direção da Bienal do Livro do Rio de Janeiro informou que não iria retirar os livros e que daria voz "a todos os públicos, sem distinção, como uma democracia deve ser".

Confira a nota:

"Este é um festival plural, onde todos são bem-vindos e estão representados. Inclusive, no próximo fim de semana, a Bienal do Livro terá três painéis para debater a literatura Trans e LGBTQA+. A direção do festival entende que, caso um visitante adquira uma obra que não o agrade, ele tem todo o direito de solicitar a troca do produto, como prevê o Código de Defesa do Consumidor."