PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Marcha para Jesus em SP foi marcada por música, política e crítica ao catolicismo

| EVANGÉLICOS | Considerado o maior evento para o público evangélico do País, a Marcha reuniu três milhões de pessoas, segundo a organização

22:28 | 20/06/2019
MULTIDÃO DE FIÉIS da Marcha para Jesus, ontem, na praça Heróis da FEB, Santana, zona norte de São Paulo
MULTIDÃO DE FIÉIS da Marcha para Jesus, ontem, na praça Heróis da FEB, Santana, zona norte de São Paulo(Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)

Realizada durante todo o dia de quinta-feira, 20, feriado de Corpus Christi, a 27ª edição da Marcha para Jesus reuniu mais de 3 mil caravanas pelas ruas São Paulo, de acordo com a organização. Estiveram presentes 28 artistas gospel e políticos como o presidente Jair Bolsonaro (PSL) e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB). Participaram do percurso de 3,5 quilômetros, onze trios elétricos.

No começo da manhã, fiéis partiram da região da Luz, no Centro de São Paulo, e acompanharam os shows na praça Heróis da Força Expedicionária Brasileira, próximo ao Campo de Marte, na zona norte de São Paulo, até as 22 horas. A organização esperava dois milhões de pessoas mas publicizou estimativa de três milhões, no fim da tarde (a cidade tem cerca de 12 milhões de habitantes). A Polícia Militar não divulgou estimativa de público.

"Este é o caminho da paz. Esta é a Marcha para Jesus, mas é também a marcha da paz, da família, do entendimento, dos que amam São Paulo e amam o Brasil", disse Doria, em cima do trio. Ele puxou uma prece "por São Paulo e pelo Brasil". Ergueu os braços, acompanhado da primeira-dama, Bia Doria, e fechou os olhos durante a oração.

Nem tão promotor da união estava o cantor Fernandinho, uma das atrações. "O Brasil não tem uma senhora, o Brasil tem um senhor, e o nome dele é Jesus", disse, em referência à Maria, mãe de Jesus, venerada pelos católicos. A Marcha para Jesus reúne sobretudo protestantes e teve este ano o tema "O Resgatador".

Jair Bolsonaro foi recebido aos gritos de "mito" e escassas vaias, em campanha eleitoral no ano passado ele participou do evento e prometeu voltar se eleito. O presidente cumpriu a promessa e discursou no palco, apoiado por líderes religiosos como o apóstolo Estevam Hernandes, da igreja Renascer em Cristo, organizadora do evento; e apóstolo Valdemiro Santiago, da Mundial do Poder de Deus.

A fiel Suzana Madalena participa da manifestação há anos como "forma de gratidão pelos milagres vividos" em sua família. "Minha nora, Jaqueline, tinha o sonho de engravidar, mas não conseguia de jeito nenhum. Em 2014, eu disse a ela: ´Vamos marchar por esse propósito, vamos profetizar porque Deus pode transformar esta situação!'. Ela e meu filho marcharam comigo. Em menos de dois meses, ela milagrosamente engravidou", relatou.

Elisangela Alves celebrou o 15º ano que comparece ao evento. "Marcho para Jesus desde 2004 e já vivi milagres em todas as áreas. O mais recente foi a liberação de uma porta de emprego", declarou.

Com informações da Agência Brasil e do jornal Folha de São Paulo

 

O Povo