PUBLICIDADE
Notícias
DROGAS

Rapaz morto por segurança em hipermercado lutava contra dependência química

Pedro era de classe média, lutava contra as drogas e já havia sido internado

12:38 | 17/02/2019

Pedro Oliveira Gonzaga, de 19 anos, foi morto na última quinta-feira, 14, por segurança do supermercado Extra, no Rio de Janeiro, após sofrer golpe "mata-leão". Segundo depoimento do segurança Davi Ricardo Moreira na Delegacia de Homicídios da Capital, Pedro teria tentado pegar a sua arma, e esse seria o motivo do ataque.

Apesar dos gritos de Dinalva Oliveira, mãe de Pedro, para que soltasse o filho, Davi continuou em cima do rapaz, até que ele faleceu. Em nota, o hipermercado afirmou que repudia o caso. "A rede esclarece que repudia veemente qualquer ato de violência em suas lojas. Sobre o fato em questão, a empresa já abriu uma investigação interna e constatou de forma inicial que se tratou de uma reação a tentativa de furto a arma de um dos seguranças da unidade da Barra da Tijuca".

De acordo com o portal Época, Pedro era de classe média, lutava contra as drogas e já havia sido internado. Para mantê-lo dentro de casa, o padrasto Nilton Filho chegou a montar um estúdio, com aparelhagem de som e mesa de mixagem. Porém, em agosto de 2017, Pedro agrediu Nilton após o padrasto lhe tirar o cachimbo de narguilé. 

Na tarde do ataque sofrido por Pedro, ele seria levado novamente a uma clínica de reabilitação para dependentes químicos em Petrópolis.

O Povo