PUBLICIDADE
Notícias
SEGURANÇA

Governo de São Paulo transfere Marcola e outros 21 integrantes do PCC para presídios federais

O destino dos presidiários não foi divulgado

09:59 | 13/02/2019
Marcola cumpre pena de 232 anos, 11 meses e 4 dias. (Foto: Reprodução/MP-SP)
Marcola cumpre pena de 232 anos, 11 meses e 4 dias. (Foto: Reprodução/MP-SP)

Líder máximo do Primeiro Comando da Capital (PCC), Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, e outros 21 detentos acusados de terem ligação com a facção estão sendo transferidos na manhã desta quarta-feira, 13, para presídios federais. Condenado a 232 anos e 11 meses de prisão por formação de quadrilha, roubo, tráfico de drogas e homicídio, Marcola está preso na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau, a 600 quilômetros da capital paulista.

De acordo com a Folha de São Paulo, os presidiários estavam por volta das 9h30min (horário de Brasília) no aeroporto de Presidente Prudente para a transferência. No Brasil há cinco presídios federais, administrados pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen): Caranduvas (PR), Campo Grande (MS), Porto Velho (RO), Mossoró (RN) e Brasília.

Ainda segundo a Folha, simultaneamente à transferência, a Polícia Militar de São Paulo realiza uma operação com 21.934 policiais, 8.104 viaturas e 13 helicópteros em 3.362 pontos em todo o Estado. As equipes estão em "locais estratégicos, apontados pelo serviço de inteligência da PM, para sufocar possíveis ações de criminosos".

Em 2006, a transferência de presos do PCC para o presídio de segurança máxima de Presidente Venceslau provocou uma onda de violência que deixou 564 mortos - 505 dos quais eram civis.

Redação O POVO Online