PUBLICIDADE
Notícias
RIO GRANDE DO SUL

Homem que decepou mãos e pé da ex-companheira tem pena reduzida no RS

Conforme os autos, durante a tentativa de assassinato ele gritava: "Morra, sua desgraçada". Gisela Santos de Oliveira também foi esfaqueada no rosto, nas pernas e na cabeça. Ela precisou se fingir de morta para sobreviver

23:04 | 07/02/2019
Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS). Foto: Divulgação/TJRS.
Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS). Foto: Divulgação/TJRS.

Elton Jones Luz de Freitas tentou matar a companheira e decepou as mãos e o pé direito dela, em agosto de 2015. Ele chegou a ser condenado a 17 anos e quatro meses de prisão em regime inicial fechado. No fim de janeiro, ele teve a pena reduzida pela Justiça gaúcha para 14 anos e deve progredir ao regime semiaberto em dois anos. Com informações da RBS TV, afiliada da Globo.

O crime chocou o Brasil, à época. As mutilações, a golpes de facão, sucederam uma discussão em São Leopoldo, no interior do Rio Grande do Sul. Ele dizia não aceitar o término do relacionamento, de acordo com o Ministério Público.

Conforme os autos, durante a tentativa de assassinato ele gritava: "Morra, sua desgraçada". Gisela Santos de Oliveira também foi esfaqueada no rosto, nas pernas e na cabeça. Ela precisou se fingir de morta para sobreviver, até que foi socorrida por vizinhos, que chamaram o socorro.

Elton respondeu por tentativa de homicídio triplamente qualificado. As qualificadoras foram meio cruel, impossibilidade de defesa da vítima e violência doméstica e familiar.

Julgamento de apelação

A defesa do homem disse que houve erro na sentença e "injustiça na aplicação da pena". Pediu ainda a anulação do Júri, o que foi negado pelos desembargadores. O Tribunal do Júri condenou Elton em março do ano passado.

No voto, a relatora Rosaura Borba destacou a "compensação realizada na origem entre a agravante do recurso que dificultou a defesa da vítima com a atenuante da confissão espontânea (do réu)". Os outros desembargadores a acompanharam.