PUBLICIDADE
Brasil
posse em brasília

Cearense assume a Força Nacional de Segurança nesta sexta-feira

Coronel Aginaldo concluiu o curso de Operações Policiais Especiais no Bope, no Rio de Janeiro, em 1995, e tem curso de gerenciamento de crise na Polícia Militar de São Paulo

22:23 | 04/01/2019
Da esquerda para a direita: Sérgio Moro, general Guilherme Theophilo e coronel Aginaldo Oliveira. (Foto: Divulgação/Ministério da Justiça)
O coronel da PM Antônio Aginaldo de Oliveira tomou posse nesta sexta, 4, da Força Nacional de Segurança Pública. A cerimônia começou às 16h, horário de Brasília, no salão Negro do Palácio da Justiça. O comandante do Batalhão de Policiamento Especializado (BPE) da Polícia Militar do Ceará é o primeiro nordestino a ocupar o cargo. O ministro da Justiça, Sérgio Moro, e o secretário nacional da Segurança Pública, o general Guilherme Theophilo, estiveram presentes na solenidade.

Cearense, o novo diretor do Departamento da Força Nacional, ligado ao ministério gerido por Moro, nasceu em Alto Santo, a 241,1 km de Fortaleza. Em 14 de dezembro, o nome oficial foi confirmado para assumir o programa de cooperação.

No histórico de operações do coronel, contam atuações na Copa do Mundo 2014, Olimpíadas e Paraolimpíadas 2016, além dos jogos Panamericanos. Também fez parte de intervenções de combate ao narcotráfico nas fronteiras do Paraguai e Bolívia.

Aginaldo concluiu o curso de Operações Policiais Especiais no Bope, no Rio de Janeiro, em 1995, e tem curso de gerenciamento de crise na Polícia Militar de São Paulo. Além disso, é graduado em Educação Física pela Escola de Educação Física do Exército Brasileiro, bacharel em Segurança Pública pela academia Edgard Facó, da Polícia Militar do Estado do Ceará, é especialista em gestão de Segurança Pública na fundação Getúlio Vargas, no Rio de Janeiro, fez curso de sobrevivência na Caatinga no Exército Brasileiro e treinamento em operações de alto risco da Swat Hollywood.

Na noite desta sexta-feira, 4, a Força Nacional de Segurança chegou a Fortaleza. Os 300 homens e 30 viaturas do departamento atuarão por 30 dias em ações de segurança e apoio à Polícia Federal (PF), à Polícia Rodoviária Federal (PRF), ao Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e às forças policiais estaduais. 
 
Redação O POVO Online