PUBLICIDADE
Brasil
UNIVERSIDADE

Professor da Federal de Sergipe é intimado após agredir verbalmente aluna

11:18 | 04/12/2018
Atualizada às 22h do dia 06/12
Intimação a professores da Universidade Federal do Sergipe
A Polícia Civil intimou os professores para esclarecimentos (Foto: Reprodução/ Polícia Civil de Sergipe)
O professor Romero Venâncio, da Universidade Federal de Sergipe (UFS), foi acusado de agredir verbalmente uma estudante de Economia da instituição, durante participação no lançamento do documentário “Moa do Katendê: a primeira vítima”. Segundo a universitária Allana Nascimento, de 26 anos, o caso aconteceu em 9 de novembro deste ano.
 
Ela conta que registrou Boletim de Ocorrência (B.O) na segunda-feira, 12 de novembro, na 6ª Delegacia Metropolitana do Conjunto Eduardo Gomes, em São Cristóvão. "Tentei resgitrar o B.O no mesmo dia. No entanto, a delegacia estava fechada e só consegui na segunda-feira", relata a estudante.
 
A estudante registrou BO na 6ª Delegacia Metropolitana do Conjunto Eduardo Gomes, em São Cristóvão. (Foto: via WhatsApp)
"Estava indo para o evento da universidade, quando o professor veio em minha direção gritando e me xingando", disse a estudante ao O POVO Online. Além disso, ela relata que o docente a chamou de "escrota", "racista", "idiota" e "babaca".
 
Allana Nascimento é formada em Ciências Sociais e trabalha como professora de História no ensino fundamental. "Minha família é humilde. Fui a primeira pessoa a me formar em um curso superior”. Ela acrescenta que o docente estaria tentando ligar sua imagem a movimentos reacionários, afirmando que o registro do B.O foi por motivos “puramente ideológicos” da jovem.
 
Romero Venâncio foi convocado a prestar esclarecimento na 6ª Delegacia Metropolitana do Conjunto Eduardo Gomes, às 9h30min do dia 9 de janeiro de 2019. Outros dois professores intimados, Airton Souza e Fábio dos Santos, teriam presenciado o acontecido.
 
O POVO enviou email para assessoria da Universidade Federal de Sergipe, às 19h49min desta quinta-feira, 6, solicitando contato dos docentes citados. No entanto, a resposta não foi enviada até a publicação desta matéria.
 
Redação O POVO Online