PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Professor universitário cearense é encontrado morto no Mato Grosso

Corpo deve ser liberado ainda nesta sexta-feira para ser transladado ao Ceará, onde Francisco Moacir será sepultado

11:56 | 21/12/2018
NULL
NULL(Foto: )
[FOTO2]
Francisco Moacir Pinheiro Garcia, de 53 anos, professor universitário cearense, foi encontrado morto em Mato Grosso. Ele havia sido dado como desaparecido por colegas de trabalho que perceberam sua falta nos corredores da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), em Sinop, nessa quinta-feira, 20. Após buscas realizadas por equipes do policiamento local, foi feita conexão entre o desaparecimento e o achado de um corpo no sábado, 15, que estava sem identificação. Amigos fizeram o reconhecimento da vítima e confirmaram ser o professor.
 
De acordo com o delegado da Polícia Civil de Sinop, Ugo Angelo, as investigações partem da suspeita de latrocínio. O corpo de Francisco foi encontrado no sábado em uma estrada com ferimentos de bala, sem documentos e sem celular. Ele explica que as diligências estão encaminhadas, mas não é possível divulgar detalhes.
 
[SAIBAMAIS]
Formado em Enfermagem pela Universidade Federal do Ceará (UFC), Francisco saiu do Estado para se especializar e estava lecionando na UFMT desde 2008 em pelo menos três departamentos. Em nota de pesar lançada pela universidade mato-grossense, a instituição lamenta a morte do docente e afirma ter decretado três dias de luto. O cearense era parte da equipe de professores do Instituto de Ciências da Saúde (ICS) do campus de Sinop, no norte do Estado. “Ficam as lembranças para contar como foi sua bela trajetória como servidor e restam as saudades para lembrar a falta que o mesmo fará”, diz a nota.

[FOTO1]
Depois de perceber a falta de Francisco no trabalho, amigos chegaram a reportar o desaparecimento registrando Boletim de Ocorrência (BO). Em seu perfil do Facebook, uma colega do professor postou panfleto de busca. Ela informou que o cearense estava desaparecido desde terça-feira, 18, não respondia mensagens ou atendia ligações. A foto de perfil do aplicativo WhatsApp pertencente ao docente também teria sido retirada.

Francielli Vicentini, pró-reitora em exercício da UFMT de Sinop, informou ao O POVO Online que colegas de Francisco estão em busca de conseguir a liberação do corpo para realizar curto velório no começo da tarde desta sexta-feira, 21. “O pessoal está bem abalado, ninguém poderia esperar isso. Francisco era uma pessoa muito querida”, disse. Segundo a pró-reitora, o docente não tinha família na cidade. Por isso, seu corpo deve ser transladado para o Ceará ainda nesta noite para ser sepultado em Fortaleza. 

Alexia Vieira

TAGS