Dois militantes do MST são assassinados em acampamento no interior da ParaíbaNotícias do Brasil
PUBLICIDADE
Notícias


Dois militantes do MST são assassinados em acampamento no interior da Paraíba

Os homens estavam jantando quando foram surpreendidos por homens encapuzados, segundo o MST

12:00 | 09/12/2018
Duplo homicídio ocorreu em uma fazenda ocupada por integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra na Paraíba (MST-PB) na noite desse sábado, 8. Dois militantes foram assassinados por homens encapuzados que invadiram o acampamento Dom José Maria Pires, localizado no município de Alhandra. As informações são do G1 Paraíba.
 
[SAIBAMAIS] 
Conforme nota divulgada pelo MST-PB, os homens, identificados como Rodrigo Celestino e José Bernardo da Silva, o "Orlando", estavam jantando quando foram surpreendidos pelos criminosos. 
  
De acordo com a Polícia Militar paraibana, o relato de testemunhas é de que os homens estava com camisas amarradas na cabeça e portando armas de pelo menos dois calibres diferentes. 

"As armas usadas não eram automáticas ou semiautomáticas. Provavelmente, de acordo com as cápsulas encontradas no local, usaram uma espingarda, calibres 12 ou 26, e um revólver calibre 38. Foram vários disparos”, explicou o major M. Lima, comandante da 1ª Companhia Independente de Polícia Militar que atua no local. 

O caso teria acontecido por volta das 19h30min de ontem. Equipes policiais realizam buscas na região para localizar os suspeitos, que até o momento da publicação desta matéria estão foragidos. O acampamento fica na Fazenda Garapu, em Alhandra, e foi ocupado em julho do ano passado. Em nota, o MST-PB lamenta a morte dos companheiros e denuncia "repressão e assassinatos em decorrência de conflitos no campo". 
 
O corpo de Orlando será velado em Mari (PB), às 14 horas deste domingo. 
 
Trecho da nota assinada pela direção do MST-PB:
"Isso demonstra a atual repressão contra os movimentos populares e suas lideranças. Exigimos justiça com a punição dos culpados e acreditamos que lutar não é crime. Nestes tempos de angústia e de dúvidas sobre o futuro do Brasil, não podemos deixar os que detém o poder político e econômico traçar o nosso destino. Portanto, continuamos reafirmando a luta em defesa da terra como central para garantir dignidade aos trabalhadores e trabalhadoras do campo e da cidade.

Justamente dois dia antes das comemorações do Dia Internacional dos Direitos Humanos, 10 de dezembro, são assassinados de forma brutal dois trabalhadores Sem Terra. Neste sentido, convocamos a militância, amigos e amigas, aos que defendem os trabalhadores e trabalhadores, denunciar a atual repressão e os assassinatos em decorrências de conflitos no campo. Solidariedade à família de Orlando e Rodrigo"
 
Redação O POVO Online  


TAGS