PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Ministro da Cultura diz que Roger Waters recebeu R$ 90 milhões para fazer "campanha disfarçada"

Sérgio Sá Leitão utilizou o Twitter para fazer as alegações nesse domingo, 21. O roqueiro disse que o ministro deveria renunciar

21:39 | 22/10/2018
NULL (Foto: )
NULL (Foto: )
[FOTO1]
O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, acusou Roger Waters de receber R$ 90 milhões de empresa brasileira para fazer propaganda política disfarçada em suas apresentações pelo Brasil. Sá utilizou o Twitter para fazer as alegações nesse domingo, 21. O ex-Pink Floyd recebeu vaias e aplausos após se posicionar contra o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) em show no Allianz Parque, em São Paulo, no dia 9 deste mês.

“Roger Waters recebeu cerca de R$ 90 milhões para fazer campanha eleitoral disfarçada de show ao longo do 2º turno. Na Folha, chamou Bolsonaro de “insano” e “corrupto”. Sem provas, claro. Disse aos fãs que não voltará ao Brasil caso ele ganhe. Isso sim é caixa 2 e campanha ilegal”, escreveu na rede social. 

[VIDEO1] O ministro alega que “as informações do post são verdadeiras”, mas a fonte não foi citada por ele. “Informação de fonte segura. US$ 3 milhões por show. Apenas de cachê. Sem contar a participação nas receitas”, sugeriu em outra publicação. Ele diz, ainda, que o dinheiro teria sido de uma empresa brasileira.
 
[VIDEO2] Ao ser questionado por um seguidor se esse não seria o pagamento esperado para um artista, ele respondeu que a questão não seria receber para fazer show. “A questão não é receber para fazer shows. É usar os shows e entrevistas no Brasil, pelos quais recebeu, para fazer campanha eleitoral direta, interferindo no processo. Os 8 shows acontecem justamente entre o 1º e o 2º turnos. Desde o primeiro ele embarcou no “Ele Não” do Haddad”, escreveu. 
 
[VIDEO3] Após a informações, o ministro rebateu críticas de seguidores que buscavam fontes e provas para o que foi dito. "Obrigado a você que chamou de fake news meu post sobre Roger Waters. Prova de incoerência. Por muito menos, acusou Bolsonaro de caixa 2 e campanha ilegal. Sem provas", escreveu.
 
Em entrevista à rádio Jovem Pan, o roqueiro disse que o Ministro da Cultura deveria renunciar.
 
[VIDEO4]
A reportagem procurou a empresa responsável pela turnê de Roger Waters no Brasil, a Time For Fun (T4F), mas ainda não obteve resposta. 
 
Redação O POVO Online 
TAGS