PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Inquérito conclui que briga política motivou morte de Moa do Katendê em Salvador

Mestre Moa foi morto com 12 facadas após se mostrar contrário às ideias do candidato Jair Bolsonaro (PSL). Autor do crime está preso

12:05 | 17/10/2018
NULL (Foto: )
NULL (Foto: )
[FOTO1]
O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa da Bahia (DHPP) concluiu o inquérito da morte de Romualdo Rosário da Costa, 63 anos, conhecido como Mestre Moa do Katendê. Segundo informações da Secretaria da Segurança Pública baiana (SSP), uma discussão político-partidária foi apontada como motivação para o assassinato de Moa pelo barbeiro Paulo Sérgio Ferreira de Santana, 36, que está preso. O documento foi encaminhado para o Ministério Público Estadual, na última segunda-feira, 15. 
 
[SAIBAMAIS] Mestre Moa foi morto com 12 facadas após se mostrar contrário às ideias do candidato Jair Bolsonaro (PSL), defendidas por Paulo Sérgio durante uma discussão no Bar do João, na localidade do Dique Pequeno, no Engenho Velho de Brotas, em Salvador. Moa bebia no local com um irmão e um primo, pouco depois da meia-noite do dia 8 de outubro. Paulo Sérgio foi preso em flagrante pela PM e confessou o crime.
 
A Polícia ouviu o dono do bar e outras testemunhas que confirmaram que posições políticas adversas iniciaram a discussão. Irmão de Moa, Germinio do Amor Divino Pereira, 51, também foi atingido com um golpe de faca no braço direito durante a confusão e foi socorrido. 

Segundo outro irmão das vítimas, Reginaldo Rosário, 68, ele, Moa e Germinio estavam bebendo quando o autor das facadas começou a defender ideias de Bolsonaro.

Após Moa do Katendê anunciar o voto, Paulo pagou a conta no bar, foi até a própria residência, voltou ao estabelecimento e acertou o mestre de capoeira com 12 facadas pelas costas.
 
Via Rede Nordeste
TAGS