PUBLICIDADE
Notícias

Mãe relata preconceito sofrido pela filha na escola por causa do cabelo black power

Mulher mandou bilhete para o estabelecimento de ensino pedindo que não mexam mais no cabelo da criança. "Não foi a primeira vez", relata

11:22 | 15/03/2018
NULL
NULL
[FOTO1] 
A cantora Bia Morais, de São Paulo, postou em seu perfil pessoal do Facebook uma reclamação contra a escola da filha. Segundo o relato, a mãe de Valentina percebeu que a menina voltou da aula com o cabelo black power preso pela professora. Irritada com a situação, Bia resolveu ensinar a filha a não deixar que mexam no cabelo dela sem autorização. O vídeo do momento já tem mais de 3 milhões de visualizações e a postagem já conta com 36 mil reações. "Estou muito orgulhosa da força que ela tem pra enfrentar o racismo de cara". 

[VIDEO1]
No relato, a mãe conta que é a terceira vez que a criança sofre preconceito. Em outras duas escolas que estudou, Valentina também foi orientada a prender o cabelo crespo, tanto por professores quanto por outras crianças. “Ou seja, o nome disso é preconceito. Não vejo professoras preocupadas em prender cabelos lisos porque eles crescem para baixo, não incomodam o olhar delas”, diz Bia. 

Além de reclamar nas redes sociais, Bia Morais escreveu um bilhete para a escola da menina. Ela pediu que não mexessem no cabelo da garota, pois só a mãe sabe lidar com o tipo de cabelo da filha. A escola depois respondeu que a situação não irá se repetir e afirmou que a motivação foi somente pelas professoras gostarem de brincar com o cabelo dos alunos. Apesar de ressaltar que somente o cabelo de Valentina foi preso, Bia afirmou que entendeu a escola e não culpa a instituição, pois acredita que o preconceito é estrutural.
 
Redação O POVO Online 
TAGS