PUBLICIDADE
Brasil
SÃO PAULO

Aluno é suspenso por 3 meses após chamar colega negro de escravo

Vítima diz que "não irá descansar" até que o autor das mensagens seja expulso da instituição

16:00 | 09/03/2018
Aluno da Faculdade Getúlio Vargas (FGV), em São Paulo, tirou uma foto de outro estudante da mesma instituição e compartilhou a imagem em um grupo do WhatsApp chamando o colega de escravo. “Achei esse escravo no fumódromo! Quem for o dono avisa”, dizia a mensagem. A vítima registrou boletim de ocorrência por injúria racial. As informações são do G1. 

O autor da postagem foi suspenso por três meses da faculdade. Em um grupo da faculdade no Facebook, a vítima relata que foi chamado pela coordenação do curso de Administração Pública na última terça-feira, 6, informando que um aluno do 4º semestre do curso de Administração de Empresas havia compartilhado a foto com a frase. 
 
(Foto: Reprodução / Redes Sociais)
 
Na publicação, a vítima afirma que a atitude do colega foi “covarde”. E questiona o fato dele não ter dito “na cara”, visto que estavam próximos. Ressaltou também que se o intuito era fazer piada, ele definitivamente não tinha esse dom. Finalizou dizendo que as providências legais já haviam sido tomadas e que o colega pagaria pelos atos, e que ele não descansaria até ele ser expulso da faculdade. E reafirmou que a mensagem era “curta e grossa” para qualquer outro racista dentro da Fundação. 

A FGV se pronunciou em nota, afirmando que ante “possível conotação racista da ofensa, aplicou serva punição ao ofensor, que foi suspenso por três meses”.  E repudiou toda forma de discriminação e preconceito. “A FGV, tão logo tomou conhecimento dos fatos, tal qual prevê seu Código de Ética e disciplina, de imediato aplicou serva punição ao ofensor, que foi suspenso de suas atividades curriculares, estando impedido de frequentar a escola, sem ressalva da adoção de medidas complementares, a partir da apuração dos fatos pelas autoridades competentes”. 
 
 
Redação O POVO Online