PUBLICIDADE
Brasil
Globo de Ouro

"Toda mulher deveria ser assediada para ser feliz", diz escritora Danuza Leão

Danuza Leão causa polêmica com depoimento que questiona protesto de mulheres no Globo de Ouro contra assédio sexual em Hollywood

20:45 | 10/01/2018

Danuza Leão
Danuza Leão. (foto: Reprodução/Twitter)

Em depoimento que coloca em questionamento os limites de assédio sexual e sua publicidade em meio a repercussão de protestos no Globo de Ouro, a jornalista brasileira Danuza Leão causa polêmica com declarações de que "toda mulher deveria ser assediada pelo menos três vezes por semana para ser feliz".

O artigo de Danuza foi publicado a pedido do jornal O GLOBO, do qual é escritora e colunista. Junto a ela, outras personalidades foram convidadas pelo veículo para integrarem uma resposta ao artigo de grupo de 100 artistas e intelectuais francesas publicado no jornal francês "Le Monde", que critica excesso de puritanismo das denúncias de assédio sexual em Hollywood em 2017 – tema de protestos na premiação do Globo de Ouro, onde atrizes se vestiram de preto.

"O que não está claro para mim é o conceito de assédio. É uma paquera? Avanços sexuais entre homens e mulheres começam sempre de um lado. Às vezes, o outro lado não quer, e isso é normal. Como definir?", questiona a escritora. Segundo Danuza, o Globo de Ouro "pareceu um grande funeral" e as mulheres vestidas de preto "foram muito pouco paqueradas e voltaram sozinhas para casa".

Para ela, as denúncias de assédio não podem "gerar uma ‘caça às bruxas’ porque são uma coisa ridícula". "É doloroso saber que uma mulher pode fazer uma acusação e tirar o emprego de um homem. É algo pecaminoso."

Danuza Leão finaliza com um brado de "Viva os homens", logo depois de afirmar que "é ótimo passar em frente a uma obra e receber um elogio".

Leia o depoimento de Danuza Leão na integra, conforme publicado no O GLOBO.

"O que não está claro para mim é o conceito de assédio. É uma paquera? Avanços sexuais entre homens e mulheres começam sempre de um lado. Às vezes, o outro lado não quer, e isso é normal. Como definir?

Espero que essa moda de denúncia contra assédio sexual não chegue ao Brasil. O que aconteceu no Globo de Ouro me pareceu um grande funeral. Apesar dos vestidos lindíssimos, acho que aquelas mulheres (que foram à cerimônia de preto) foram muito pouco paqueradas e voltaram sozinhas para casa.

Não acho que as denúncias de assédio possam gerar uma ‘caça às bruxas’ porque são uma coisa ridícula, para começo de história. É doloroso saber que uma mulher pode fazer uma acusação e tirar o emprego de um homem. É algo pecaminoso. Mas isso é coisa de americano. Lá eles não têm noção de sexo. É ótimo passar em frente a uma obra e receber um elogio. Sou desse tempo. Acho que toda mulher deveria ser assediada pelo menos três vezes por semana para ser feliz. Viva os homens."

Redação O POVO Online