PUBLICIDADE
Notícias

Mulher de 77 anos que estudou até a 4ª série lança livro com poesias

O motivo que impulsionou a relação da idosa com as palavras foi a morte do marido, há 30 anos. Na escrita, ela encontrou um refúgio

15:17 | 06/11/2017
NULL
NULL

[FOTO1]

A dona de casa Laudelina Ferreira da Silva realizou um sonho. Aos 77 anos, a idosa concluiu seu primeiro livro. Tendo que criar 12 filhos, ela não teve a possibilidade de prosseguir nos estudos, parando na 4ª série do ensino fundamental. Pelo tempo de aproximadamente 30 anos, Laudelina guardou suas ideias em um papel até que sentisse que estava no momento certo para publicar. A informação é do G1 de Ribeirão Preto.

Em entrevista, ela disse que o feito significa mais que uma realização, visto que,  quando morrer, deixará uma história de vida para os seus familiares, amigos e interessados. O sonho só foi realizado pela ajuda de amigos da cidade de Bebedouro, em São Paulo, lugar que sempre viveu.

A proposta do livro é falar de coisas simples do cotidiano das pessoas, assim como das memórias e paisagens guardadas pela autora. "Com seu preto tripé, seguem sua boiada os tropeiros que faziam nesta terra sua pousada", diz um dos versos. Outro verso fala sobre o advento da tecnologia e o conforto proporcionado por ela. "Hoje está tudo mais fácil, tem até computador, o trabalho até sumiu, quem capina é o trator".

O fato de não ter avançado nos estudos nunca representou um impedimento para que ela se expressasse por meio da escrita. Por isso, ela considera seu livro simples, com assuntos do dia a dia, da família, da cidade.

Sobre o processo criativo, a autora diz que quando vem a mente uma palavra, não dorme, dá no máximo uma cochilada. Nesse ritmo, vai colocando as ideias no papel ao passo que elas surgem. "Deixo um lápis e uma folha perto de mim, lembro outra palavra, jogo lá. Lembro outra, jogo lá. Aí depois que tenho um tanto de palavras aí eu vou montar essa poesia".

Supresa com os resultados, ela assegura que outros versos renderão mais uma publicação.

 

Redação O POVO Online

TAGS