PUBLICIDADE
Notícias

Justiça manda Alexandre Frota e MBL apagarem posts ofensivos a Caetano Veloso e Paula Lavigne

Os réus precisam apagar as mensagens ofensivas no prazo de até 48 horas. Caso não o façam, serão obrigados a pagar multa de R$ 10 mil por dia

09:45 | 01/11/2017
NULL
NULL

[FOTO1] 

Uma decisão liminar expedida nesta terça-feira, 31, obriga o ator Alexandre Frota e os integrantes do Movimento Brasil Livre (MBL) Kim Kataguiri, Renan dos Santos e Vinicius Aquino a retirarem publicações feitas nas redes socais contra Caetano Veloso e esposa dele, Paula Lavigne. A determinação foi feita pelo juiz Bruno Arthur Mazza Vaccari Machado Manfrenatti, da 50ª Vara Cível do Rio de Janeiro.

Os réus precisam apagar as mensagens ofensivas no prazo de até 48 horas. Caso não o façam, serão obrigados a pagar multa de R$ 10 mil por dia. No processo, Caetano e Paula pedem a exclusão de publicações nas quais os dois são chamados de integrantes de uma gangue, como também a que o artista é acusado de pedofilia, chamado de '171, ladrão e filho da puta".

Para o juiz, as publicações "enquadram-se como ofensas com único intuito de depreciar a imagem dos autores, ao aludirem que o primeiro requerente teria praticado um suposto ato de pedofilia e que os demandantes apoiariam a pedofilia e integrariam uma gangue, indicando, assim, a ocorrência de abuso do direito à livre expressão/manifestação conferido pela Constituição Federal".

Redação O POVO Online

TAGS