PUBLICIDADE
Notícias

Creche incendiada vai ganhar nome de professora que morreu ao tentar salvar crianças

Heley entrou em confronto com o vigia quando ele tentava ampliar ainda mais o incêndio na creche. A professora tinha 43 anos e teve cerca de 90% do corpo atingido pelas chamas e não resistiu aos ferimentos

21:45 | 09/10/2017
NULL
NULL

[FOTO1]

Quando for reaberta, a creche Gente Inocente, em Janaúba, em Minas Gerais, onde um vigia ateou fogo em crianças e funcionários, vai ganhar o nome da professora que sacrificou a própria vida para salvar boa parte das crianças e evitar que Damião Soares dos Santos, de 50 anos, fizesse mais vítimas. A Prefeitura da cidade vai mudar o nome da unidade para Heley de Abreu Silva Batista.

Conforme testemunhas, Heley entrou em confronto com o vigia quando ele tentava ampliar ainda mais o incêndio na creche. A professora tinha 43 anos e teve cerca de 90% do corpo atingido pelas chamas e não resistiu aos ferimentos. Nesse domingo, 8, o presidente Michel Temer concedeu à professora a Ordem Nacional do Mérito.

Ao todo, a tragédia na cidade mineira fez 57 vítimas. Durante o fim de semana, 23 crianças e adultos tiveram alta hospitalar. Elas estavam internadas porque inalaram fumaça do incêndio e não chegaram a ter queimaduras graves. Nesta segunda, mais uma criança recebeu alta: o garoto Lucas Gabriel Martins, de 4 anos, que estava internado na Santa Casa de Montes Claros.

Redação O POVO Online

TAGS