PUBLICIDADE
Notícias

Corpo de Rogéria é enterrado no Rio de Janeiro

17:20 | 06/09/2017
NULL
NULL

[FOTO1]

Na tarde desta quarta-feira, 6, o corpo da atriz e cantora Rogéria foi enterrado no Cemitério Municipal de Cantagalo, na Região Serrana do Rio de Janeiro, onde a artista nasceu.

[SAIBAMAIS]

Na ocasião, o prefeito de Cantagalo, Guga de Paula, decretou luto oficial de três dias considerando que "Rogéria foi uma artista de notoriedade nacional e internacional, com participações em novelas, programas de televisão, filmes, peças de teatro e turnês durante décadas".

O velório de Rogéria aconteceu na terça-feira, 5, no teatro João Caetano, no Centro do Rio de Janeiro. A atriz Leandra Leal, diretora do longa "Divinas Divas", que tinha Rogéria como uma das protagonistas, participou da cerimônia de despedida.

A atriz Glória Perez se emocionou ao falar com a imprensa sobre a artista. "Tinha uma relação muito próxima com ela, porque ela era amiga do meu pai. Ela começou como maquiadora. Rogéria, como artista, sempre foi uma pessoa da maior importância. Pela coragem dela, pela maneira de ser, sempre rompendo barreiras impensáveis para a época e de uma maneira muito correta, digna, inteira e muito forte", disse.

Rogéria morreu na última segunda-feira, 4, aos 74 anos, após ser internada no hospital Unimed, da Barra da Tijuca, onde estava desde o dia 8 de agosto, devido a um quadro de infecção urinária.

Sobre a artista

Rogéria, nascida com Astolfo Barroso Pinto em 25 de maio de 1943, em Cantagalo, interior do Rio de Janeiro, se autotitulava "travesti da família brasileira" e foi uma das transformistas mais antigas em atividade no Brasil.

Ela passou a usar roupas e maquiagens femininas na adolescência, mas seu transformismo não foi repreendido pela mãe. A artista se considerava transgênero, mas nunca teve vontade de realizar a cirurgia de redesignação sexual.

"Minha mãe não tinha vergonha de mim. Pelo contrário, ela trabalhava no laboratório químico farmacêutico do Exército. Eu entrava, fazia festa no colo do general, sentava numa boa, porque as pessoas gostavam de mim. Quando surgi como Rogéria, mamãe no vestiário botou todas as fotos", disse a atriz à GloboNews, em 2016.

Rogéria começou a carreira artística como maquiadora na extinta TV Rio, na década de 1960, trabalhando com artistas como Fernanda Montenegro, Bibi Ferreira e Elis Regina. Também foi cantora, se apresentou como transformista fora do Brasil e tornou-se vedete de Carlos Machado, produtor e diretor de espetáculos musicais e conhecido como "O Rei da Noite".

Redação O POVO Online

TAGS