PUBLICIDADE
Notícias

Após gravar vídeo, PM alvo de homofobia é transferido de batalhão

Rodrigues diz que tem denunciado práticas homofóbicas há mais de um ano, mas só recebeu atenção por conta do vídeo

16:30 | 05/09/2017
NULL
NULL

[FOTO1]

O soldado que denunciou ter sido vítima de assédio, tortura e homofobia foi transferido do 39º Batalhão da Polícia Militar, em São Vicente, no litoral de São Paulo,  Adriell Rodrigues Alves Costa, de 35 anos, depois de prestar depoimento na Corregedoria, se apresentou hoje, 5, ao comando do policiamento. As informações são do G1 de Santos e Região. 

A violência foi registrada por Costa em vídeo. Ele diz que se algo acontecer com a sua integridade física, a responsabilidade é do comandante do batalhão, da Polícia Militar e do Estado. Segundo ele, nada foi feito para apurar as suas denúncias.

No depoimento dado ontem, 4, mesmo tendo apresentado argumentos para defender a sua saída do Batalhão, Costa teve de retornar. Ele afirma que alegaram não terem o poder de tirá-lo do local.

Momentos depois, no entanto, ele recebeu a notícia que classificou como "luz no fim do túnel". Ele irá se apresentar no 6º Comando do Policiamento do Interior, em Santos, encarregada das regiões da Baixada Santista e Vale do Ribeira.

Policial há nove anos, ele diz ainda ter medo do que pode acontecer. Rodrigues diz que tem denunciado práticas homofóbicas há mais de um ano, mas só recebeu atenção por conta do vídeo. Ele revelou temer por sua segurança, preocupado, inclusive, de ser preso.

Ainda não se sabe se a transferência do soldado é definitiva. Por meio de sua assessoria de comunicação, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) comunicou que o policial prestou depoimento sobre as denúncias feitas em vídeo.

Confira vídeo:

[VIDEO1] 

 

Redação O POVO Online

TAGS