PUBLICIDADE
Notícias

Após preconceito, menino abandona as aulas de balé

A jornalista escreveu que o filho, chorando, disse que não aguenta mais ser "zoado"

15:38 | 08/08/2017
NULL
NULL

[FOTO1]

Em postagem em perfil de rede social, a jornalista Cristina Charão Marques destacou a possibilidade do preconceito entre crianças. A postagem foi motivada pela desistência do filho de oito anos de dançar balé. Ela publicou um texto relatando que o filho estava sofrendo bullying por parte dos colegas.

A jornalista escreveu que o filho, chorando, disse que não aguenta mais ser "zoado". Cristina, que vive em Porto Alegre, diz que influenciou o filho Artur a praticar. Na época, em 2014, aos cinco anos, ele começou a praticar como o único menino da escola em que dançava.

A mãe afirma que não vê na criança a vontade de ser bailarino, já que a paixão pelo futebol é ainda maior. Ele pratica futsal em uma escolinha e joga voleibol no colégio onde estuda. De todo modo, o balé era uma atividade satisfatória ao menino, que também começou a fazer sapateado.

Apesar de entender que o preconceito com Artur não é recorrente, ela pensa que em certas situações a homofobia estava inserida.

Grande parte do incômodo sentido por Cristina vem da sensação de impotência em relação ao preconceito. De acordo com a jornalista, embora muitos digam que não são machistas ou homofóbicos, continuam fazendo piadas com mulheres ou com homens que optam fazer atividades como o ballet. As informações são do G1 do Rio Grande do Sul.

 

Redação O POVO Online

TAGS