PUBLICIDADE
Notícias

Adolescente que se recupera após parada cardíaca de quase uma hora quer ser médico

Depois de reanimado, o adolescente passou por um técnica de resfriamento do corpo com soro gelado e bolsas de gelo para reduzir a possibilidade de complicações neurológicas

15:49 | 04/08/2017
NULL
NULL

[FOTO1]

Ícaro Freitas, adolescente de 12 anos, sofreu uma parada cardíaca por aproximadamente uma hora em Rio Verde, no sudeste de Goiás. Tentaram reanimar Freitas por 48 minutos, que finalmente reagiu. Depois disso, ficou internado por 42 dias, perdeu a visão, porém voltou a enxergar. Dois meses depois do incidente, ele está em processo de recuperação e diz querer estudar medicina.

A dona de casa Nívea Oliveira, mãe de Freitas, disse que o filho tinha ido a uma mercearia e retornou para casa sentindo-se mal. De acordo com ela, o adolescente se deitou e uma tia fez massagem cardíacas no peito dele. Ela relata que não estava adiantando e que o jovem também sentia vontade de vomitar e não conseguia.

No momento de desespero, ela foi com o filho para fora de casa para pedir ajuda para quem estivesse na rua. A colunista de moda Thay Sanqueta, que passava no local, avistou a dona de casa pedindo socorro e levou os dois ao hospital. No caminho, ela notou que a situação de Ícaro era grave.

A mãe relata que na primeira curva que o carro fez ela o segurou e reparou que sua temperatura estava diferente, similar a de seu pai quando o encontrou morto.

Ao chegar no Hospital Presbiteriano Doutor Gordon, o jovem recebeu os cuidados do médico Joaquim Spadoni, que deu mais de dez choques e fez massagem cardíaca durante 48 minutos.

Depois de reanimado, o adolescente passou por um técnica de resfriamento do corpo com soro gelado e bolsas de gelo para reduzir a possibilidade de complicações neurológicas.

Após 19 dias na Unidade de Terapia Intensiva e outros 23 dias internado, o médico afirma que ele está praticamente recuperado, mas que deve receber acompanhamento para, no futuro, ter a capacidade cognitiva reavaliada.

 

Redação O POVO Online

TAGS