PUBLICIDADE
Notícias

PM vai investigar policial que aparece em vídeo agredindo aluno de Alagoas

Nas imagens, o oficial aparece se aproximando de um estudante que está sentado em sua carteira. Em nota, a PM da capital alagoana se posicionou sobre o assunto

21:54 | 29/05/2017
NULL
NULL

[FOTO1] 

A Corregedoria da Polícia Militar (PM) de Alagoas (AL) informou nesta segunda-feira, 29, que instaurou um inquérito para averiguar a conduta de um policial militar que aparece agredindo um estudante em um vídeo gravado dentro de uma sala de aula da Escola Estadual Campos Teixeira, em Maceió. As informações são do jornal Extra.

Gravadas na última quarta-feira, 24, quando o policial estaria fazendo uma palestra na escola na capital alagoana, as imagens estão circulando pelas redes sociais, gerando pesadas críticas contra a atitude do policial. Segundo a corporação, será aberto um processo administrativo que vai durar, inicialmente, 30 dias.

No vídeo, o policial aparece se aproximando de um estudante que está sentado em sua carteira. Não é possível ouvir o som ambiente, mas os dois parecem estar conversando. As imagens mostram o policial se inclinando sobre o aluno e, em seguida, se afastando. Logo depois, o PM desfere um golpe violento com a mão direita contra o rosto do jovem, antes de segurá-lo pelo pescoço. Antes de o vídeo acabar, o PM carrega o estudante para fora do quadro, aplicando-lhe uma gravata.

Em nota, a PM da capital alagoana se posicionou sobre o assunto.

Leia a nota na íntegra:

"A Polícia Militar de Alagoas vem a público informar que, através de sua corregedoria, irá investigar a conduta dos militares, durante a noite da última quinta-feira (25), em uma ocorrência na Escola Estadual Campos Teixeira, localizada no bairro da Ponta da Terra, em Maceió. Sendo assim, será aberto um processo administrativo para averiguação dos fatos, que irá durar, inicialmente 30 dias".

Após o secretário de Segurança Pública do Estado de Alagoas (SSP), coronel Lima Júnior, defender a ação da polícia durante a confusão na escola, dizendo que não houve excesso dos policiais, a secretária de Estado da Educação de Alagoas, Laura Souza, em sua página no Facebook, se manifestou para falar do ocorrido. Na nota, ela garante que houve excesso sim e que a abordagem policial dentro da escola foi desproporcional.

Segundo a assessoria de comunicação da Secretaria de Estado da Educação de Alagoas, os PMs fazem parte do projeto Batalhão Escolar, com o objetivo de evitar o tráfico de drogas nas unidades de ensino. A secretaria ainda informou que os militares não poderiam, sem a presença de um diretor, entrar na sala de aula, o que aconteceu neste caso. A secretaria entrará com uma ação para pressionar a PM a investigar a ocorrência.

Redação O POVO Online

TAGS