PUBLICIDADE
Notícias

Extrato de tomate tem venda proibida pela Anvisa por "excesso" de pelo de roedor

O produto da fabricante Heinz terá todo o lote recolhido

12:15 | 20/02/2017
Um lote do extrato de tomate da marca Quero teve sua venda proibida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) após um laudo comprovar que o produto ofereceria risco a saúde do consumidor.

No lote suspenso, identificado como L.1107:35, foi encontrado pelo de roedor acima do limite máximo permitido. A legislação brasileira estabelece que produtos como molhos, purês, polpas e extratos que sejam à base de tomate contenham no máximo um fragmento de pelo de roedor para cada 100 gramas.

A probição tem validade em todo o território nacional e a empresa responsável pela marca, Heinz Brasil S.A, deverá recolher todo o estoque existente no mercado. 

O extrato de tomate Quero não é o primeiro produto da fabricante Heinz a ter a sua venda afetada. As marcas Elefante, Predilecta, Amorita e Aro também já tiveram lotes proibidos e que precisaram ser recolhidos.

Desde 2014, a Anvisa estabelece requisitos mínimos para a quantidade de "sujeira" tolerada em alimentos e bebidas. A presença dessas "sujeiras" são microscópicas e são consideradas como normais em alguns produtos alimentícios, pois não apresentam riscos à saúde, desde que não ultrapasse o limite de tolerância estabelecido na regulamentação. 
  
Redação O POVO Online 
TAGS