Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Força Nacional começa a chegar em Manaus e Boa Vista

10:45 | Jan. 10, 2017
Autor -
Foto do autor
- Autor
Tipo Notícia

[FOTO1] 

Chegaram nesta terça-feira, 10, a Manaus (AM), os primeiros agentes da Força Nacional de Segurança Pública que vão ajudar as forças policiais estaduais a tentar conter a crise no sistema penitenciário amazonense.

O pedido de reforço de pessoal e de equipamentos foi feita pelo governador José Melo, no último domingo, 8, depois que pelo menos 64 presos foram assassinados em três estabelecimentos prisionais da capital. Na semana passada, o governo estadual já tinha pedido ao Ministério da Justiça o envio de tornozeleiras eletrônicas, scanners corporais, bloqueadores de sinal de celular e recursos para ampliar e reaparelhar o Instituto Médico Legal e o Instituto de Criminalística.

Segundo a Força Aérea Brasileira, os primeiros dos 100 agentes que vão participar da operação desembarcaram em Manaus perto das 5 horas (horário de Brasília; 3 horas no Amazonas), a bordo de um avião C-99 da força. Um segundo grupo chegou à capital do estado as 10h30. Um terceiro voo estava previsto para partir da Base Aérea do Galeão para Manaus às 10h45.

O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, anunciou na noite dessa segunda-feira, 9, que os policiais da tropa especial vão fazer policiamento, apoio nos bloqueios nas estradas e no perímetro das penitenciárias. Além disso, dez agentes penitenciários federais serão deslocados para o estado para colaborar com a administração dos presídios. O Departamento Nacional Penitenciário (Depen) vai realizar um diagnóstico das penitenciárias do Amazonas para propor um protocolo de segurança para estruturação do sistema, bem como um protocolo de segurança para revistas, atuação e treinamento operacional.

Roraima
O Ministério da Justiça também autorizou o envio de tropas da Força Nacional para Roraima, onde pelo menos 33 detentos foram assassinados no interior da Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, na última sexta-feira (6). De acordo com a FAB, o dois aviões militares usados para transportar homens e equipamentos partiram da Base Aérea de Brasília, com destino a Boa Vista, às 7 horas (horário de Brasília), e do Galeão, no Rio de Janeiro, às 7h30. A previsão é que as aeronaves cheguem a Boa Vista às 12h30.

A governadora de Roraima, Suely Campos pediu que os homens da Força Nacional auxiliassem no controle da penitenciária, mas, segundo o ministro da Justiça, os 100 agentes que atuarão no estado vão ajudar na recaptura de presos foragidos, vigilância e segurança nas barreiras policiais nas estradas e na escolta de presos.

“Nenhum pedido para a Força Nacional agir como agente penitenciário será deferido. Isso é ilegal pela lei que criou a Força Nacional. Ela é composta de policiais militares e há uma unanimidade, independente de ideologia, de que quem prende não deve cuidar. Isso é uma contingência legal", explicou Moraes.

Além do Amazonas e de Roraima, outros cinco estados pediram e vão receber apoio federal para enfrentar problemas no sistema penitenciário. A ajuda ao Acre, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, a Rondônia e ao Tocantis vão da autorização para que o Acre transfira 15 presos para o presídio federal de Mossoró (RN); à doação de equipamentos, como coletes antibalísticos, armamentos e munições. Os estados também pediram autorização para remanejar recursos para ampliação e readequação de estabelecimentos prisionais já existentes ou construir novas unidades.

Agência Brasil

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Governo de SP autua Bolsonaro pela terceira vez por não uso de máscara

POLÍTICA
2021-07-31 19:12:22
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Governo do Estado de São Paulo autuou neste sábado (31), pela terceira vez, o Presidente Jair Bolsonaro e outras sete autoridades pelo não uso de máscara em aglomeração em manifestação iniciada em Presidente Prudente, no interior paulista.
Além dele, também receberam autuações da Vigilância Sanitária Estadual o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas; o Ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, General Heleno; o Secretário Especial de Assuntos Fundiários, Luiz Antônio Nabhan Garcia; o Presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães. Já na esfera do Legislativo, foram flagrados os deputados federais Carla Zambelli, Cezinha de Madureira e Coronel Tadeu.
Os reincidentes poderão ser multados em até R$ 290,9 mil pelo estímulo e envolvimento em ações de risco à saúde pública - Bolsonaro, Tarcísio, Zambelli, Cezinha, e Coronel Tadeu foram flagrados anteriormente infringindo a lei durante manifestações em junho.
Cada um dos demais está sujeito à multa de R$ 552,71 por descumprimento da legislação, que determina o uso da proteção facial em espaços públicos.
Os autos serão enviados via Correios para cada um e descrevem as normas previstas na lei, citando a necessidade da manutenção das medidas preventivas já conhecidas e preconizadas pelas autoridades sanitárias nacionais e internacionais, como uso de máscara e distanciamento social.
O uso de máscaras é obrigatório no Estado de São Paulo desde maio de 2020, conforme Decreto nº 64.959 e resolução SS 96. Além disso, o Código Sanitário estadual (lei 10.083/1998) especifica como circunstâncias agravantes para as infrações aquelas em que se verifica dolo, omissão e reincidência.
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Ferroviário perde posições após empate, mas Diá ressalta que "o importante é se manter dentro do G-4"

SÉRIE C
2021-07-31 19:10:00
Autor Mateus Moura
Foto do autor
Mateus Moura Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

O empate contra o Botafogo-PB, em 0 a 0, neste sábado, 31, no estádio Elzir Cabral, fez o Ferroviário perder duas posições, terminando a 10ª rodada na quarta colocação do grupo A da Série C do Campeonato Brasileiro, com 16 pontos. O Tubarão foi ultrapassado pelo Paysandu-PA, que venceu o duelo diante do Tombense-MG por 1 a 0 e chegou aos mesmos 16 pontos do Ferrão, mas fica na frente pelo saldo de gols, e pelo Volta Redonda-RJ, que venceu o Altos-PI por 2 a 1, assumindo a liderança da Terceirona, com 17 pontos.

Apesar de manter uma postura ofensiva durante boa parte do confronto, o Coral não conseguiu os três e perdeu posições na tabela. O técnico Francisco Diá, em entrevista coletiva após o jogo contra o Belo, ressaltou a importância do Ferrão se manter no G-4.

"Nós mostramos mais ofensividade. Criamos bem pelos lados do campo, com as entradas de Dudu, Reinaldo e Edson Cariús. A equipe deles (Botafogo-PB) veio muito retrancada, jogando com uma linha de cinco atrás. Nós tentamos de todas as formas buscar os três pontos, mas não foi o suficiente. O importante é se manter dentro do G-4", comentou.

Para Diá, o time vem sendo superior aos adversários, mas a ineficiência do setor ofensivo em marcar os gols está sendo um empecilho para que a equipe consiga as vitórias.

"Fazer dois pontos em dois jogos não é muito bom. Nós queríamos a vitória. Colocamos um nível maior de ofensividade. Contra o Paysandu-PA, nós criamos e marcamos. Mas nesse jogo, não conseguimos. Por isso, trouxemos o Cariús. O Adilson Bahia não está passando por um bom momento, principalmente no quesito de gols. Temos sofrido nesse sentido, em marcar poucos gols, mas também não estamos tomando. As equipes jogam muito fechadas contra nós, jogando por uma bola e estão conseguindo os resultados. Mesmo com essas dificuldades, temos conseguido nos manter no G-4, e esse é o nosso pensamento, sempre estar nesta zona para conseguir a classificação", disse.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Ossos encontrados podem ser de meninos desaparecidos em Belford Roxo

Geral
2021-07-31 18:37:13
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Após receber uma denúncia do irmão de um acusado, a Polícia Civil encontrou nesta sexta-feira (30) ossos em um saco plástico preso a uma ponte em um rio de Belford Roxo, na Baixada Fluminense, que podem ser dos três meninos desaparecidos em dezembro na cidade.

A polícia informou que a Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) aguarda o laudo da perícia realizada nos fragmentos de ossos encontrados e que as investigações e buscas seguem em andamento.

Os meninos Lucas Matheus, de 8 anos, Alexandre Silva, de 10, e Fernando Henrique, 11 anos, desapareceram no dia 27 de dezembro, depois que saíram para brincar no campo de futebol ao lado do condomínio em que moravam, no bairro do Castelar, e não voltaram para casa.

Em março, o Ministério Público identificou as últimas imagens das crianças, feitas por câmeras de segurança na Rua Malopia, na Vila Medeiros, bairro vizinho ao que elas moravam. Nas imagens, os três aparecem andando juntos, tranquilamente, enquanto conversam de forma descontraída. A Polícia Civil criou uma força tarefa para investigar o desaparecimento apenas em abril.

Uma operação em maio prendeu 16 pessoas no bairro do Castelar, acusados de envolvimento com o tráfico de drogas e o roubo de cargas na região, que podem estar envolvidos no desaparecimento dos três meninos. Os presos são suspeitos também de torturar e expulsar uma família da cidade, com marido esposa e quatro filhos menores, que teriam acusado os traficantes do crime.

De acordo com o coordenador executivo do Fórum Grita Baixada, Adriano de Araújo, as investigações só estão ocorrendo por causa da pressão dos movimentos sociais em torno do caso.

“Se não fosse a pressão social de movimentos organizados e a insistência das famílias, acredito que sequer teríamos informações a respeito. Essa demora reflete a baixa importância dada na resolução de crimes contra a vida no Brasil, especialmente em territórios periféricos, pobres e negros, como a Baixada Fluminense”.

O Fórum é uma rede de organizações e pessoas da sociedade civil que defendem os direitos humanos, a justiça e uma política de segurança pública cidadã para a Baixada Fluminense. Araújo destaca que os desaparecimentos forçados são uma realidade presente na vida de dezenas de famílias da região e, ao mesmo tempo, pouco visibilizada.

“Nós estamos iniciando uma pesquisa a respeito, em parceria com a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro [UFRRJ]. O desaparecimento de corpos têm sido usado por grupos criminosos, seja da milícia, seja de outros grupos associados ao comércio varejista de drogas, como uma estratégia de dominação de território e controle pelo terror”.

De acordo com ele, o Fórum está organizando o primeiro centro de atendimento psicossocial para mães e familiares de vítima de violência de Estado e de desaparecimentos forçados, em parceria com setores públicos, para fortalecer a rede de apoio local às famílias.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Brasil bate a marca de 100 milhões de pessoas vacinadas

Saúde
2021-07-31 18:07:28
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Brasil chegou a 100 milhões de pessoas imunizadas ao menos com a primeira dose da vacina contra a covid-19. De acordo com o Ministério da Saúde, mais de 62% da população já recebeu ao menos uma dose. “Estamos cada vez mais próximos de chegar na nossa meta: até setembro, 100% dos adultos estarão vacinados com a primeira dose. E, até o final do ano, todos estarão imunizados”, afirmou o ministério, em nota à imprensa.

Ao mesmo tempo, o governo tem alertado a população sobre a importância da segunda dose. O ministério lançou no início de julho uma campanha para incentivar as pessoas que já tomaram a primeira dose a procurarem os postos de saúde para completar o esquema vacinal.

Nas redes sociais, o ministério ressalta a importância de se vacinar: “Quando chegar a sua vez, vacine já!!”

Podcast Vida&Arte debate sobre o papel da arte entre jovens da periferia

Juventude Sobrevivente
2021-07-31 18:00:00
Autor Clara Menezes
Foto do autor
Clara Menezes Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

Qual a função da arte nas vidas de jovens que vivem nas periferias de Fortaleza? Esse é o questionamento norteador do primeiro episódio da quarta temporada do Podcast Vida&Arte. Conteúdo já está disponível nas plataformas digitais, como Spotify e Deezer.

Na conversa, os convidados são: Cinthia Medeiros, editora do Núcleo Audiovisual do O POVO, e Felipe Rima, rapper e produtor musical. A mediação fica sob responsabilidade de Bruna Forte, repórter do Vida&Arte.

O diálogo se baseia na série “Guerra Sem Fim”, do O POVO. A produção exclusiva da área de assinantes O POVO+ explora, no capítulo “Juventude Sobrevivente”, as histórias de pessoas que construíram caminhos a partir da arte e se distanciaram do contexto da violência.

Veja também | Guerra Sem Fim

Na obra audiovisual, ainda é possível conhecer as narrativas de Jardson “Remido”, poeta marginal do Grande Jangurussu, e Jô Costa, atriz e professora travesti do Bom Jardim, além do próprio Felipe Rima.

“A série ‘Guerra Sem Fim’ está na segunda temporada. A primeira, que foi lançada no ano passado, dava conta de uma situação de violência que Fortaleza vivia por conta do conflito das facções em relação às medidas que haviam sido tomadas pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social”, afirma Cinthia Medeiros no podcast.

Já a segunda parte revela os impactos que essa situação tem na vida das pessoas que se encontram neste contexto de vulnerabilidade social. Há, no total, três episódios: “Refugiados Urbanos”, “GDE, Como Nasce Uma Facção” e “Juventude Sobrevivente”.


 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags