PUBLICIDADE
Notícias

Filha do apresentador Bolinha vive de aluguel após gastar herança de 20 milhões

A única herdeira de Édson Cabariti, conhecido como Bolinha, não soube administrar os bens deixados pelo pai e, hoje, vive de aluguel e anda de ônibus

19:51 | 24/10/2016
Imagens do programa Domingo Show
Imagens do programa Domingo Show

[FOTO1]Filha do apresentador de Bolinha, sucesso nos anos de 70 e 80, herdou uma herança de R$ 20 milhões após a morte de seu pai em 1998. Entretanto, mesmo com o alto valor arrecado, Vitória Cury não soube administrar os bens deixados pelo apresentador e, hoje, mora de aluguel e anda de ônibus, conforme entrevista realizada no programa “Domingo Show”, da TV Record. Édson Cabariti, conhecido como Bolinha, morreu devido a um câncer no aparelho digestivo. Além do patriarca, Vitória perdeu a irmã e a mãe logo em seguida.


Antes da morte do apresentador, Vitória vivia uma realidade totalmente diferente da de hoje. Viajava três vezes por ano para o exterior e já levou cerca de 10 amigos para Europa por conta do pai.

“Ele não tinha tempo para nós. Era um homem extremamente ocupado, ficava apaixonada quando via meu pai em casa. Meu pai não me preparou para vida. Não me ensinou a administrar”, disse em entrevista ao “Domingo Show”.


Além da morte de seu pai, Victória teve que lidar com a morte de sua irmã no ano seguinte e da sua mãe. “Eu me deparei em 1998 com a morte repentina dele, minha irmã morreu em 1999 e minha mãe em seguida”, disse.

 

[FOTO2] 


Por não saber administrar a herança e por ter mantido o mesmo padrão de vida, Victória teve que vender imóveis e carros de luxo para poder sobreviver. “Eu não perdi. Tive que vender para sobreviver. Meu ex-marido tomava conta de tudo, ele vendia um imóvel para pagar outro. Se eu tivesse um emprego, o que faria? Colocaria o dinheiro do emprego no imóvel”, explicou.


Na entrevista para a TV, Vitória relembra do conforto que tinha quando o seu pai era vivo, muito diferente do estilo de vida que tem hoje. “Sempre tivemos motorista particular, cada um com o seu. Com 17 anos eu ganhei um Camaro. Ele chegou e disse ‘seu presente está lá fora'”, contou.

Mas essas mudanças trouxeram lições para ela. “As pessoas gostam de você até o ponto em que você tem alguma coisa a dar”, afirmou.

 

 

                                                                                    Redação O POVO Online

TAGS