PUBLICIDADE
Notícias

Pesquisa revela que 90% das nordestinas têm medo de agressão sexual

O DataFolha entrevistou 3.625 pessoas com 16 anos ou mais de 217 municípios brasileiros com diferentes portes. A mesma pesquisa apontou que um terço dos brasileiros culpa a mulher por estupros sofridos

11:35 | 21/09/2016

O Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) em parceria com o Datafolha realizou pesquisa para elaboração do documento Percepção sobre violência sexual e atendimento a mulheres vítimas nas instituições policiais. Os dados levantados mostram que 42% dos homens e 32% das mulheres entrevistados consideram que “mulheres que se dão ao respeito não são estupradas”. No Nordeste, a porcentagem para tal concordância foi de 41%.

Os números revelam ainda que 90% da população feminina nordestina têm medo de ser agredidas sexualmente. Entre os nordestinos homens, esse percentual é de 72%.

O Sudeste ficou à frente do Nordeste por um ponto no aspecto de concordância com a frase “A mulher que usa roupas provocativas não pode reclamar se for estuprada”. Nesta categoria, a porcentagem de homens e mulheres brasileiros foi a mesma, 30%.

Os maiores índices de homens e mulheres que culpam a vítima pelo estupro indicam a faixa etária de 60 anos ou mais, nível de escolaridade fundamental e origem de municípios com menos de 50 mil habitantes, principalmente do Nordeste e Sudeste. Diante da afirmativa “temos que ensinar os meninos a não estuprar”, o Nordeste também teve a maior porcentagem, com 94% de concordância. Considerando o País, 91% dos homens e 92% das mulheres concordam com tal frase.

Preparação policial

A pesquisa, que tinha como objetivo promover o debate e o diálogo para “o aprimoramento do atendimento realizado pelas instituições policiais às vítimas de violência sexual em todo o país”, trouxe aspectos ligados a tais instituições e sua preparação. Os homens brasileiros superam as mulheres em um ponto na descrença de que policiais militares são bem preparados para atender mulheres vítimas de violência sexual, com 51% contra os 50% femininos. O Sudeste concentra 53% de descrença em tal capacidade, a maior do País, enquanto o Centro-oeste teve a menor, 44%.

Os números referentes à afirmativa de que “as leis brasileiras protegem estupradores” são alarmantes: 53% dos homens e 52% das mulheres concordam. Os nordestinos entrevistados apontam que 49% acreditam em tal afirmativa, o segundo menor índice, à frente apenas do Centro-Oeste, com 47%. Os números apontam que a concordância com a frase é maior no Sul, e nos entrevistados com escolaridade média, dos 25 a 34 anos, e de municípios com 50 a 200 mil habitantes.

A pesquisa

Para o levantamento das porcentagens, foram entrevistadas 3.625 pessoas com 16 anos ou mais de 217 municípios brasileiros com diferentes portes. O material foi elaborado a partir do 10º Encontro Anual do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, cujo tema foi “Violência Contra a Mulher, Acesso à Justiça e o papel das Instituições Policiais”. Tal temática foi escolhida devido aos 10 anos da sanção da Lei Maria da Penha e 1 ano da sanção da Lei de Feminicídio, que se tornaram marcos na prevenção da violência contra as mulheres.

 

Redação O POVO Online

TAGS