PUBLICIDADE
Notícias

Após morte de criança, lote de achocolatado Itambé é suspenso em todo País

Decisão da Anvisa foi tomada depois que uma mãe denunciou que o filho morreu uma hora após ingerir o achocolatado Itambezinho. Não há provas da relação entre a morte da criança e

16:25 | 30/08/2016
NULL
NULL
Uma resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), publicada no Diário Oficial da União dessa segunda-feira, 29, determina a retirada de um lote completo do achocolatado Itambezinho e proíbe a comercialização da bebida no Brasil, pelo prazo de 90 dias. A decisão foi tomada depois que uma mãe denunciou a morte do filho de dois anos, após a ingestão do produto, na última quinta-feira, 25, em Cuiabá.
Segundo a Polícia Civil do Mato Grosso, a mulher contou que a criança morreu uma hora depois de beber o achocolatado. Em nota, a Itambé informou que nenhum problema foi encontrado na composição do produto do lote suspenso, durante análises laboratoriais internas.
A Anvisa determinou a retirada em todo o território nacional do lote 21:18, com validade de 21 de novembro de 2016, do produto Bebida Láctea UHT, sabor chocolate, de 200ml, da marca Itambezinho. Após o recolhimento, que deve ser realizado pelas vigilâncias sanitárias estaduais e municipais, a bebida deverá passar por análise laboratorial. Um laudo deverá ser emitido para apontar o motivo da morte da criança.
De acordo com a Polícia Civil, que investiga o caso, o resultado do exame que deverá mostrar a causa da morte deve sair em 30 dias.
Investigação
Um inquérito policial foi aberto pela Polícia Civil do Mato Grosso para investigar a morte da criança, depois da denuncia feita mãe na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Contudo, a investigação está sob o comando da Delegacia Especializada de Defesa da Criança e do Adolescente (Dedica).
Nesta segunda-feira, 29, Eduardo Botelho, delegado da Deddica, informou ao G1 que os pais do menino prestaram depoimento e confirmaram a mesma versão prestada no boletim de ocorrência, registrado na semana passada.
Segundo Botelho, os pais contaram que um vizinho deu o achocolatado e que a embalagem estava fechada. A mãe afirmou ainda que ela e um tio do menino também beberam e chegaram a passar mal.
A criança foi levada para a Policlínica do Coxipó, em Cuiabá, apresentando quadro de parada cardiorrespiratória, mas não resistiu e morreu na unidade.
Redação O POVO Online
TAGS