PUBLICIDADE
Notícias

Site da cantora Negra Li é hackeado com mensagens racistas

A artista é mais uma vítima de preconceito racial na internet

22:37 | 04/07/2016
NULL
NULL

A cantora paulistana Negra Li teve seu site hackeado na tarde desta segunda-feira, 4. A página foi invadida e o conteúdo original substituído pela foto de um macaco e legenda racista. A artista é mais uma vítima de preconceito racial na internet. O site continua fora do ar.

Além da página oficial da rapper, as ofensas também podiam ser vistas na descrição do site no Google. Ao pesquisar pela artista no buscador, a mensagem aparecia: "Negra Li você foi hackeada sua macaca. Negro quando voa é urubu, quando corre é bandido (...)". O autor da ação se identificou como "RBX Hacker".

[FOTO2]
No início da noite, Negra Li comemorou a retomada da página em sua conta no Facebook. Logo em seguida, afirmou que o site continuaria fora do ar temporariamente, “para análise”.
[VIDEO1]

Outros casos

[SAIBAMAIS4]

Em julho de 2015, Maria Júlia Coutinho, também conhecida como Maju, apresentadora da TV Globo, foi vítima de ofensas no Facebook, após a publicação de uma foto dela na página do Jornal Nacional, da mesma amissora. O Ministério Público de São Paulo denunciou quatro pessoas pelo crime de racismo.

Em novembro, a atriz Taís Araújo foi vítima do mesmo crime em sua página no Facebook. Os xingamentos também se baseavam na cor de sua pele. O caso foi investigado pela Polícia Civil do Rio de Janeiro. Quatro suspeitos respondem em liberdade pelos crimes de formação de quadrilha, pedofilia e racismo.

Já em maio deste ano, a funkeira Ludmilla foi insultada pelo Instagram. O Ministério Publico do Rio de Janeiro denunciou o suposto autor do crime, que pode ser condenado a até três anos de prisão.

Redação O POVO Online

TAGS