PUBLICIDADE
Notícias

Vakinha online consegue arrecadar dinheiro para cirurgia da garotinha Geovana

Avó da Gigi agradeceu a ajuda de todos

12:44 | 07/06/2016
NULL
NULL

O sonho de poder ver a luz do dia está cada vez mais perto para Geovana Lima, de 11 anos, que sofre de síndrome De Morsier, que causa entre outros problemas a má formação do nervo óptico. Ela precisa fazer uma cirurgia na Tailândia para enxergar. O preço da cirurgia é de 33 mil dólares. Após a divulgação da vakinha online na última segunda, 06, nas redes sociais, que tinha objetivo de apurar R$ 99.500,00, a campanha conseguiu arrecadar R$ 163.943,25.

[SAIBAMAIS1]Além da quantia, a luta era contra o tempo. Gigi tinha apenas até o dia 30 de julho para arrecadar o dinheiro para realizar essa cirurgia, antes que o nervo óptico se desenvolvesse por completo. Após esse prazo ela perderia totalmente a chance de ver.

Em entrevista exclusiva ao Portal O POVO Online, Cleonice Lima, 59, avó da garotinha, disse que está muito feliz por ter conseguido bater a meta da vakinha. “Estou feliz e agradeço a todos pela ajuda. Conseguimos arrecadar a quantia antes do tempo e estou muito grata a cada um que contribuiu”. De acordo com Cleonice, o valor que excedeu será usado para dar uma estrutura de vida melhor para a neta, que mora em Cotia (SP). “Vendi tudo que tinha para iniciar o tratamento dela. Sou cuidadora de idosos e moro na casa do meu patrão com minha neta”.

Geovana fez a primeira parte do tratamento com células tronco e com a arrecadação do dinheiro, irá para viajar dia 22 de julho para fazer a cirurgia. A avó da menina disse que após o procedimento, as chances dela enxergar são de 95%. “Com a intervenção cirúrgica, a previsão é que as células troncos reconstruam parte do nervo óptico que está danificada e ela enxergue gradativamente”.

Além da deficiência visual, a síndrome De Morsier causou uma anomalia genital na menina, o que causa a perda do controle de suas necessidades. Ela usa cerca de 400 fraldas por mês, além de pomadas, lenços umedecidos e medicações. Gigi também tem problemas no trato digestivo que limita sua alimentação.

Os próximos passos serão entrar em contato com o hospital na Tailândia, fazer o depósito para marcar o dia da cirurgia, fazer os exames pré-operatórios na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro e marcar a viagem o quanto antes.

Cleonice diz que conta com a ajuda de todos para que sua neta possa ter uma vida melhor e agradece aos que participaram da campanha nas redes sociais. “Gratidão não tem dinheiro que pague”, declara a avó de Gigi.

Cleonice ressalta que todo o processo de cirurgia e tratamento será divulgado para que as pessoas acompanhem a recuperação da Geovana.

 

 

TAGS