PUBLICIDADE
Notícias

Perícia não acha indícios de disparos do carro de menino morto pela PM

Segundo a Perícia, a cena do crime na zona sul de São Paulo foi alterada. Os policiais envolvidos na ação serão ouvidos nesta semana

14:42 | 09/06/2016
Os peritos que apuram a morte do garoto de 10 anos, durante perseguição policial em São Paulo, não encontraram indícios de que disparos tenham sido efetuados de dentro do carro que o menino dirigia. A Perícia ainda informou que a cena do crime foi alterada.

O carro roubado pelos meninos estava revirado e o corpo do garoto foi mexido, conforme a apuração dos peritos. A arma que teria sido utilizada por um dos garotos para atirar nos policiais foi recolhida pela PM e levada ao Departamento de Homicídios.

A Polícia quer ouvir os militares envolvidos no caso ainda nesta semana. Até o momento, não há confirmação sobre a ação dos PMs - se foi legítima defesa ou execução.

O menino de 11 anos que sobreviveu deu três versões diferentes. Na última, ele falou a uma psicóloga que não estava armado. Um advogado ouvido como testemunha mudou sua versão e disse que não sabe de onde partiram os tiros.

Segundo o homem, os dois meninos foram perseguidos e houve um disparo, mas não ele não viu se de onde o tiro partiu. Inicialmente, ele havia dito que ouviu disparos do carro dos meninos.

Interrogatório
Um vídeo que mostra o menino de 11 anos sendo interrogado, supostamente por PMs, foi enviado à Secretaria de Segurança de São Paulo para ser investigado. As imagens teriam sido gravadas com o adolescentes sem a presença de advogado ou responsáveis.

O presidente da Comissão dos Direitos Infanto-Juvenis da OAB, Ricardo Cabezon, afirmou ao G1 SP que o interrogatório, aparentemente, ''é a tentativa de encobrir o que aparenta ser um excesso na abordagem policial''.

Redação O POVO Online
TAGS