PUBLICIDADE
Notícias

Novo vídeo mostra jovem implorando para não ser estuprada no Rio

A nova gravação traz provas que não deixam dúvidas sobre o crime, conforme a Polícia. Adolescente de 16 anos foi violentada, no mínimo, em duas ocasiões

10:43 | 06/06/2016

A Polícia Civil encontrou um novo vídeo sobre o caso do estupro coletivo no Rio de Janeiro que gerou comoção nacional. As imagens, encontradas no celular de Raí de Souza e divulgadas pelo Fantástico neste domingo, 5, mostram a adolescente de 16 anos sendo abusada e tentando reagir.

Raí de Souza, 22 anos, está preso no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste do Rio. O aparelho dele foi apreendido na sexta-feira, 3, e traz provas que não deixam dúvidas sobre o crime, conforme a Polícia.

A segunda gravação mostra homens violentando a adolescente e introduzindo objetos nas partes íntimas da vítima desacordada. Um dos criminosos fala “Não o que, pô?, e a menina reclama de dor. “Já está provado o crime de estupro. O desafio da polícia é provar a extensão desse crime. Quantos autores e quem praticou esse crime”, explicou a delegada responsável pelo caso, Cristiana Bento.

Com o novo vídeo, além da participação de Raí, ficou confirmado o envolvimento de Moisés Camilo de Lucena, conhecido como Canário, e Jefinho, ambos foragidos.

[SAIBAMAIS 5] Crime
A investigação aponta, até o momento, que a adolescente saiu de um baile funk com Raí, o jogador de futebol Lucas Perdomo, 20 anos, e mais uma garota, às 7h da manhã de sábado, 21 de maio. Na festa, eles teriam feito uso de bebidas alcoólicas, maconha e cheirinho da loló.

Os quatro foram a uma casa abandonada da comunidade do Morro do Barão, na Zona Oeste e, às 10h horas, Raí, Lucas e a outra menina decidiram sair do local sem a vítima, que ainda estava sob o efeito de drogas.

Uma hora depois, a adolescente teria sido encontrada desacordada pelo traficante Moisés Camilo de Lucena, conhecido como Canário, 28 anos. O homem pegou a jovem e a levou para outra casa, tendo sido o primeiro a estuprá-la.

Segundo a investigação, a adolescente foi estuprada, no mínimo, duas vezes. Os abusos ocorreram no sábado pela manhã e na noite de domingo, quando Raí, Raphael Duarte Belo, 41 anos, e um homem identificado como Jefinho, gravaram vídeos e tiraram fotos.

Redação O POVO Online
TAGS