PUBLICIDADE
Notícias

Letícia Sabatella denuncia perfil falso no Twitter com crítica a Bolsonaro e condena ataques atribuídos a ela

Mensagem atribuída a atriz dizia que "bandido bom é bandido morto". Letícia falou sobre posições políticas durante entrevista à rádio O POVO CBN

16:07 | 28/06/2016
NULL
NULL

Uma conta falsa de twitter com crítica ao deputado Jair Bolsonaro foi criada em nome de Letícia Sabatella, na semana passada. O perfil foi denunciado pela atriz, que pretende tomar as medidas cabíveis contra usuários que estão disseminando calúnias sobre ela.

A mensagem atribuída a atriz dizia que "bandido bom é bandido morto" e questionava se, dessa forma, isso poderia ser aplicado ao deputado que virou réu. Apesar de contrária aos posicionamentos de Bolsonaro, Letícia afirma que não faria uma crítica assim.

''Preciso deixar claro que não compactuo com o Bolsonaro, mas que não quero instigar reações irracionais, usando munição igual a que ele usaria", justificou ela, em mensagem no Facebook. A atriz ainda falou sobre o caso durante entrevista à rádio O POVO CBN, na manhã desta terça-feira, 28.

"Eu tenho percebido dessa história que você colhe o trigo no meio do joio. Eu realmente não apoio as colocações do Jair Bolsonaro, acho que ele é uma pessoa que fomenta realmente muito ódio", disse.

Segundo a atriz, as pessoas que seguem o deputado Jair são tomadas de um fervor e não conseguem enxergar a misoginia ou a maneira discriminatória como ele trata homossexuais. "Tem pessoas que parecem que não conseguem enxergar isso, o veem como uma pessoa correta. Mas é uma pessoa que faz apologia ao coronel Ustra, que é um torturador, e faz isso para ofender mesmo", criticou.

%2b Ouça a entrevista completa com a atriz Letícia Sabatella

Governo
A atriz também falou, durante a participação no programa "O POVO no Rádio", que é oposição ao governo Dilma, mas não apoia o processo de impeachment. "Nunca votei na Dilma, principalmente porque me envolvo muito com os movimentos sociais, com os ribeirinhos, os índios. Então eu tenho muitas restrições à política energética, à política econômica, ao modelo de desenvolvimento ainda coronelista, que não contempla, de fato, o pequeno agricultor", citou.

Letícia afirmou ser a favor da reforma agrária, que precisa ser feita devido à dívida histórica do País. Ela disse ainda concordar com a punição de estupradores, mas condena as medidas violentas. "Quando entra com pena de morte, castração química, acho que isso já tem um sadismo e é uma forma de pensar em uma sociedade muito violenta, no lugar de pensar em uma sociedade que seja mais humana, mais socialmente equilibrada", frisa.

Para ela, a sociedade está tomando consciência de que o impeachment "foi armado como um golpe e não foi a melhor medida''. "O governo Dilma foi um governo eleito, muitas pessoas escolheram ela para não votar no Aécio. Teve várias coisas no governo que não eram legais, mas eu percebi que havia um golpe da forma mais grotesca de tirar direitos dos trabalhadores, com a terceirização, PEC contra os índios, criminalização dos movimentos populares, sucateamento do SUS. Coisas que precisam ser melhoradas sendo degradas em nome de uma política neoliberal de privatização”, completou.

Reforma política
De acordo com a atriz, o Brasil precisa de uma reforma política, com um combate à corrupção efetivo. "A gente tem que ter um sistema que dê conta disso. E que não seja só um sistema que vai somente prejudicar o pobre, o trabalhador, a classe média. Todo mundo vai dar seu quinhão para melhorar a sociedade", pontua.

A atriz destaca que, em países com mais igualdade, as pessoas têm mais qualidade de vida. “As pessoas (nos países igualitários) têm saúde de qualidade, educação de qualidade, alimentação saudável, nisso que eu acredito”.

[VIDEO1] 

Redação O POVO Online
TAGS