PUBLICIDADE
Notícias

Garota vítima de estupro coletivo agradece mensagens de apoio

A família da jovem acusa o ex-namorado de planejar o crime por vingança

13:00 | 27/05/2016
NULL
NULL

A adolescente vítima de estupro coletivo em comunidade do Rio de Janeiro voltou a agradecer o apoio que tem recebido nas redes sociais. "Todas podemos um dia passar e por isso... Não, não doi o útero e sim a alma por existirem pessoas cruéis sendo impunes !! Obrigada ao apoio", escreveu a adolescente de 16 anos, que também aderiu à campanha no Facebook pelo "fim da cultura do estupro".

Segundo a família da vítima, o caso teria sido premeditado por Lucas Perdomo Duarte Santos, de 20 anos, rapaz com quem a menina já manteve um relacionamento. Além de Lucas, a polícia pediu a prisão de Marcelo Miranda da Cruz Correa, de 18 anos, e Michel Brazil da Silva, de 20 anos, suspeitos de divulgar as imagens da vítima na internet. E ainda de Raphael Assis Duarte Belo, de 41, que aparece nas imagens ao lado da garota.


Em entrevista ao portal G1, uma pessoa da família falou sobre o caso. “Um deles é namorado dela, tinha sido namorado dela, que ela conheceu na escola. E isso foi uma vingança dele. Ele fez isso com ela e chamou mais 30 para fazer o mesmo. O pai dela nem aguenta falar que chora muito. Um ser humano que é capaz de fazer isso com uma menina de 16 anos só, cheia de sonho, né? E eles fazem isso. A família está assim, sem palavras”, lamentou.

A jovem foi estuprada no último sábado, 21, numa comunidade da Zona Oeste do Rio. Ela contou à polícia que foi até a casa do rapaz com quem mantinha um relacionamento há três anos. A garota tem lembranças de estar a sós com Lucas e depois lembra de ter acordado nua e dopada em outra casa, com mais 33 homens armados com pistolas e fuzis.

A família afirma que a garota retornou para casa “descalça, descabelada, com aspecto de que tinha se drogado muito e com uma roupa masculina toda rasgada”. Apesar de ser questionada sobre o que teria acontecido, a menina não revelou nada. A parente da família conta que a garota retornou à comunidade, ainda na terça-feira, a fim de reaver o celular roubado, mas foi recebida por um agente social que a levou de volta para a casa.

Os familiares só tiveram conhecimento do caso na quarta-feira, 25, quando fotos e vídeo com imagens da menina após o estupro repercutiram nas redes sociais. Nas imagens divulgadas pelos agressores, ela aparece desacordada, sem roupas e ferida.

A polícia do Rio aguarda informações sobre os suspeitos de participação no crime por meio do Disque-Denúncia (2253-1177).

 

Redação O POVO Online

TAGS