PUBLICIDADE
Notícias

Computador de cientista com estudo sobre o vírus zika é furtado

O virologista e chefe do Laboratório de Virologia Molecular da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) informou que não há cópia dos dados das pesquisas sobre o vírus Zika apurados e que os experimentos vão ter que ser repetidos

11:44 | 24/05/2016
NULL
NULL

Na noite da última quarta-feira, 18, o cientista Amilcar Tanuri, referência em pesquisas sobre o vírus zika, teve um computador com dados inéditos de duas pesquisas furtado no Aeroporto Santos Dumont, no Rio de janeiro.

 

O virologista e chefe do Laboratório de Virologia Molecular da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) informou que não há cópia dos dados das pesquisas sobre o vírus Zika apurados e que os experimentos vão ter que ser repetidos.

Tanuri disse em entrevista à imprensa que quem o furtou foi muito rápido. Ele estava à espera de um táxi no setor de embarque do aeroporto, quando o celular tocou. Ele se distraiu ao atender o celular e colocou a mala no chão, onde estava o Laptop.

O cientista disse que procurou a segurança da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e foi avisado de que as imagens estavam muito escuras e não davam para identificar nada.

''Estava tudo completamente às escuras. O Santos Dumont virou zona franca de bandidos. É preciso que se faça uma intervenção imediata ali. É uma das portas de entrada da cidade, deveria estar bem guardado'', afirmou o pesquisador.

A pesquisa tinha dados importantes  sobre o caso de duas crianças de Campina Grande (PB), que morreram em decorrência de más-formações provocadas pelo zika . "O mais grave disso é que tinham dados confidenciais dos pacientes, fotografias, imagens das crianças. Isso ficou na mão de alguém", lamenta Tanuri.

Outra pesquisa de suma importância também estava no laptop furtado.  O estudo tinha dados inéditos sobre o efeito da substância medicamentos Cloroquina nas estruturas celulares no cérebro humano infectadas pelo vírus zika.

Os primeiros testes com a substância já haviam se mostrado promissores e os resultados seriam publicados na revista americana Cell. O cientista diz que vai ter que repetir toda a pesquisa e os experimentos. Até o momento, o Laptop não tinha sido encontrado.

 

Redação O POVO Online

TAGS