PUBLICIDADE
Notícias

Confira o que fica mais caro com impostos

Cerveja, gasolina, vinho, chocolate e sorvete estão na lista

18:29 | 25/02/2016
NULL
NULL

O governo federal e os estaduais aumentaram os impostos, deixando alguns produtos mais caros. São impostos como o estadual ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços) e federal IPI (Imposto sobre Produto Industrializado), que ficam “embutidos” nos preços dos produtos e serviços.

Em alguns estados, a prática na elevação dos preços de alguns produtos listados abaixo já aconteceu.

Confira a lista:

1 - Cerveja
O ICMS da cerveja subiu em alguns Estados:
São Paulo (SP): subiu de 18% para 22%;
Minas Gerais (MG): de 20% para entre 25% e 32%;
Distrito Federal (DF): de 27% para 31%;
Mato Grosso do Sul (MS): de 25% para 28%;
Piauí (PI): de 17% para 19%;
Tocantins (TO): de 25% para 27%;
Alagoas (AL): de 19% para 27%;
Rio Grande do Sul (RS): de 25% para 27%.

2 - Vinho, cachaça e uísque
O governo federal mudou a forma de calcular o IPI sobre bebidas quentes, como vinho, cachaça, uísque e outros destilados.
Era cobrado antes, um valor fixo de acordo com o tipo de bebida e o tamanho da embalagem, com limite máximo de R$ 17,39. Por exemplo, uma garrafa de vinho fino de 750 mil com preço de R$ 20 pagava R$ 0,73 de IPI.
Agora, será cobrado um percentual sobre o preço: de 10% para vinhos, 15% para vermute, 20% para campanhe, 25% para cachaça e 30% para uísque e vodca

3 - Chocolate e sorvetes
Podem ficar mais caros a partir de 1º de maio com a mudança das regras para o IPI. Esse produtos tinham o imposto calculado em relação ao peso ou volume (R$ 0.09 por quilo para o chocolate branco, R$ 0,12 por quilo para demais chocolates e R$ 0,10 por embalagem de 2 litros de sorvete). O imposto agora será de 5% sobre o preço de venda.

4 - Gasolina
O ICMS da gasolina subiu em vários Estados:
PI: de 25% para 27%;
DF: de 25% para 28%;
Goiás (GO): de 27% para 28%;
PB: de 25% para 27%;
Paraná (PR): de 28% para 29%;
Pernambuco (PE): 27% para 29%
TO: de 25% para 27%
RS: de 25% para 30%

Redação O POVO Online

TAGS