PUBLICIDADE
Notícias

Corpo de Bombeiros confirma sexta morte em Mariana

A corporação informou que resgatou nesta tarde um corpo próximo à barragem de Fundão, no distrito de Bento Rodrigues, uma das que se romperam

18:29 | 10/11/2015
NULL
NULL

Subiu para seis o número de mortes após o rompimento de duas barragens de rejeitos na região de Mariana (MG), na última quinta-feira, de acordo com boletim divulgado no início da noite desta terça-feira, 10, pelo Corpo de Bombeiros. Quatro corpos foram reconhecidos e dois aguardam confirmação.

A corporação informou que resgatou nesta tarde um corpo próximo à barragem de Fundão, no distrito de Bento Rodrigues, uma das que se romperam. Mais um corpo aguarda identificação no Instinto Médico Legal (IML).

Hoje, foi identificado o corpo de Emanuele Vitória Fernandes, de 5 anos. Ela morava no distrito de Bento Rodrigues e estava desaparecida. De acordo com os Bombeiros, 21 pessoas estão desaparecidos, sendo 11 funcionários da mineradora Samarco e dez informados por parentes. Estão hospedadas nos hotéis de Mariana 631 pessoas de 183 famílias.
[SAIBAMAIS 3]
Os bombeiros também informaram que um morador de Camargos, distrito próximo a Bento Rodrigues, apresentou-se no Comando de Operações. Ele estava na lista de desaparecidos, mas disse que ficou na casa de parentes.

Segundo os bombeiros, o abalo sísmico registrado hoje na região de Mariana não alterou a rotina de trabalho das equipes de busca e salvamento às vítimas do rompimento das barragens de Fundão e Santarém.

BHP Billiton

Em nota divulgada ontem, a BHP Billiton - que divide com a Vale o controle da Samarco - informou que o CEO da empresa, Andrew Mackenzie, vai a Mariana nesta semana para “entender em primeira mão os impactos sofridos em decorrência do incidente, no âmbito humano, ambiental e operacional”.

A BHP Billiton disse ainda que ofereceu apoio para ajudar nos esforços de resgate e na contribuição com a investigação e que a prioridade da companhia é o bem-estar das comunidades locais, dos funcionários, empreiteiros e colaboradores da Samarco.

Agência Brasil



 

TAGS