PUBLICIDADE
Notícias

Estudantes da América Latina e de países Ibéricos receberão 200 mil bolsas de intercâmbio

Além de bolsas para alunos, o alvo também é beneficiar professores e pesquisadores

13:52 | 29/07/2014

A Organização dos Estados Ibero-Americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI) anunciou, no III Encontro dos Reitores Universia, que pretende entregar cerca de 200 mil bolsas de intercâmbio para estudantes da América Latina e da Península Ibérica. O evento que iniciou nesta última segunda-feira, 28, e termina nessa terça-feira, 29, acontece no Rio de Janeiro e tem a participação de 1.056 universidades de mais de 30 países.
O encontro tem como tema "A universidade do século XXI: uma reflexão a partir da Ibero-América”.

 Alvos para os próximos anos

 Além de bolsas para alunos, o alvo é beneficiar professores e pesquisadores também. O plano é que a partir de 2015 até 2016 sejam contemplados cerca 25 mil alunos. Para os anos posteriores o alvo é alcançar o total de 200 mil.
  Para que isso ocorra é necessária à aprovação dos países da OEI, que irão se reunir em Dezembro na cidade de Vera Cruz, no México.  Rebeca Grynspan, secretária da entidade, disse que o maior problema seria a questão financeira.

“Ainda falta dinheiro para o projeto sair do papel, mas não acredito que isso vai nos atrapalhar muito” disse Grynspan.

 Por enquanto o programa de intercâmbio Paulo Freire da OEI já afirmou que vai conceder 1,5 mil bolsas anuais de 2015 a 2020 para estudantes de Pedagogia e professores. Esse projeto será anunciado durante o encontro de ministros da Educação dos países ibero-americano, que acontecerá em Agosto no México.

 A secretária da entidade disse que em agosto, durante o encontro, fará um esforço junto com os outros países membros da OEI para realizar o projeto de mais de 200 mil bolsas.

 Portanto os dois programas foram denominados Erasmus Iberoamericano, para fazer referência ao programa da União Europeia de intercâmbio. Esse projeto abrange três milhões de estudantes do continente europeu.  De 2015 a 2020, a EU pretende lançar o Erasmus Plus, com a intenção de aproximar-se de suas ex-colônias.

 Mar Duque, responsável pelo programa na Espanha, disse não saber a quantidade de alunos beneficiados, mas que a maioria virá da América latina. Ele ainda afirma, que espera receber um grande público de brasileiros.

 

 

 

Redação O POVO online

TAGS