PUBLICIDADE
Notícias

Polícia investiga golpes por telefones em parentes de vítimas de incêndio

Criminosos se passam por familiares para roubar dinheiro dos verdadeiros parentes das vítimas do incêndio

11:25 | 28/01/2013
NULL
NULL
A Polícia de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, anunciou que estão ocorrendo golpes praticados em familiares das vítimas do incêndio na Boate Kiss, na madrugada do domingo, 27. De acordo com informações do site Terra, os golpes acontecem por telefone, com ligações provenientes de locais fora do Estado.

Segundo o Terra, um criminoso se faz passar por parente de familiares das vítimas e diz que está indo para Santa Maria. Porém, o criminoso diz que o carro quebrou e que os cheques não estão sendo aceitos para pagar o guincho. Dessa forma, o bandido pede que o parente da vítima envie algum dinheiro, em média R$ 1 mil, R$ 2 mil.

A própria família acaba fornecendo informações pessoais, que ajudam o criminoso a convencer a vítima. "Não forneçam dados, não forneçam nomes e não enviem dinheiro", orientou um Coronel da polícia local à Rádio Gaúcha.

Leia também:
> Incêndio em boate deixa mais de duzentos mortos no Rio G. do Sul
> Governo divulga lista com 231 nomes de mortos na tragédia em Santa Maria
> Três pessoas são presas por incêndio em boate em Santa Maria
> Veja boate antes e depois do incêndio
> Relembre outros incêndios que causaram tragédias em boates

A tragédia deixou pelo menos 231 mortos na madrugada do domingo. De acordo com o coordenador da Defesa Civil, Adelar Vargas, o fogo teria começado na espuma de isolamento acústico, no teto. Um dos integrantes da banda Gurizada Fandangueira, que se apresentava no local, teria acendido um sinalizador, que atingiu o teto e o fogo se espalhou rapidamente.
Redação O POVO Online

TAGS