PUBLICIDADE
Notícias

Grupo Fordance realiza bailes dançantes no Círculo Militar

Grupo de dança inicia série de bailes dançantes para angariar fundos e manter atividades voltadas para pessoas da terceira idade e cadeirantes

20:39 | 04/05/2017
NULL
NULL

[FOTO1] 

O tango é um estilo de música e de dança que desperta paixões mundo afora. Vindo da Argentina, o ritmo encantou a cearense Maria das Graças Azevedo, 68, mais conhecida como Gagá, que logo se dedicou a aprender a dança.

Em 2003, “movida pela paixão”, Gagá resolveu dar um passo à frente e espalhar o tango por Fortaleza. Nascia então o grupo Fortango. Aos poucos, a paixão pela dança passou a englobar outros estilos e, em paralelo ao projeto inicial, ela criou o Fordance, grupo dedicado a dança de salão, abrangendo também o bolero, o samba e o forró.

À medida em que o grupo crescia, Gagá queria atingir mais pessoas. Em 2010, criou o Fortango-Fordance Sem Limites, voltado para cadeirantes e cegos, e, a partir dele, o Fordance Comigo, para alunos da 3ª idade. Os grupos chegaram a se apresentar em outras cidades como Teresina, Natal e Parnaíba. “Eu sempre gostei de trabalhos sociais, eu faço por prazer. No projeto de dança os idosos e cadeirantes se reúnem, trocam experiências”, festeja a coordenadora do projeto.

Integrante de um dos grupos há seis anos, a aposentada Sônia Castelo Branco, 61, conta que a dança tira os idosos “da mesmice e do sedentarismo”. “A interação com outras pessoas é muito importante. A gente dança, se diverte, traz vitalidade e muita saúde”, comemora.

[FOTO2] 

Fábio Dantas, especialista em medicina preventiva, explica que a dança é uma atividade leve, mas importante no combate ao sedentarismo, além de melhorar a cognição de idosos e pessoas com necessidades especiais. “Mexe com a parte cardiovascular, incentiva a uma dieta saudável e ainda tem a questão da auto estima, que também melhora em decorrência disso tudo”, reforça.

Dificuldades

Apesar de gerar benefícios para os integrantes dos grupos, a falta de verbas para pagar professores e o deslocamento dos alunos com necessidades especiais, interrompeu o projeto voltado para cadeirantes e cegos. Tentando reverter essa situação, Gagá teve a ideia de montar bailes mensais para criar um fundo de manutenção das atividades. “Os meus alunos, principalmente os cadeirantes, me pediam para voltar com o projeto. Mas é preciso pagar os professores, pois é um para cada cadeirante, e ainda o deslocamento deles, pois a maioria não tem condições”, comenta.

Programados para acontecer nas primeiras sextas-feiras de cada mês até outubro, os bailes para angariar fundos acontecerão no Círculo Militar de Fortaleza, contando com banda, sorteio de prêmios e um concurso de dança. “Em cada baile, os melhores de cada ritmo serão escolhidos e teremos um sorteio. No primeiro evento, marcado para o dia 5 de maio, o sorteio será de uma passagem de ida e volta para Buenos Aires”, comenta Gagá.

Em novembro acontecerá um grande baile de gala onde será entregue o ‘Oscar da Dança a Dois 2017’. “Para mim, esse projeto é muito importante. É um projeto de inclusão social desses idosos, dessas pessoas com necessidades, tudo por meio da dança”.

Quem quiser treinar para os eventos, pode participar das reuniões do grupo, que acontecem de segunda a sexta-feira, das 16h às 18 horas, no Círculo Militar, e contam com cerca de 14 professores de diversas modalidades. A mensalidade é R$ 130 e dá direito a duas aulas por semana.

SERVIÇO

Baile do Samba ao Tango

Quando: sexta, 5, às 21 horas

Onde: Circulo Militar de Fortaleza (Rua Canuto de Aguiar, 425)

Quanto: R$ 30. Ingressos pelos números (85) 99982-2123 /
(85) 999829472

Para ler mais notícias sobre a terceira idade:

www.opovo.com.br/noticias/atividade

Redação O POVO Online

TAGS