PUBLICIDADE
Noticia

Neste ano, 34,4% dos óbitos no Ceará foram por Covid-19

Em todo o ano de 2020, essa porcentagem foi de 39,6%

11:54 | 02/07/2021
Março de 2021 foi o mês mais letal da pandemia no Brasil (Foto:  Michael DANTAS / AFP)
Março de 2021 foi o mês mais letal da pandemia no Brasil (Foto: Michael DANTAS / AFP)

No primeiro semestre de 2021, dos 35.364 óbitos registrados no Ceará, 12.164 foram por suspeita ou confirmação de Covid-19, sendo 6.310 na Capital. Se considerarmos o início do período de transmissão da doença até os dias atuais, temos 22.136 registros de óbitos no Ceará, sendo 12.166 só em Fortaleza. Os números estão no Portal da Transparência do Registro Civil e foram atualizados até a madrugada desta sexta-feira, 2.

Os números mostram que, entre janeiro e junho, 34,4% dos óbitos no Ceará foram por causa da doença. Em todo o ano de 2020, essa porcentagem foi de 39,6%.

No Brasil, a marca do primeiro semestre é de 1/3 dos registros de óbitos sendo por Covid-19. Dos 927.568 óbitos no País no período, 316.058 foram pela doença. 

No ano passado, dos 1.460.991 registros de mortes emitidos no País, 198.547 tiveram como causa a Covid-19. Esse dado equivale a 13,59% do total de óbitos. Trata-se de cerca de 190 mil mortes a mais em 2020 do que em 2019.

Ceará

Divisão por mês de mortes por Covid-19 em 2021:
Janeiro - 533
Fevereiro -1.053
Março - 3.381
Abril - 3.742
Maio - 2.387
Junho - 1.070


Totalizando 12.166 registros de óbitos no último semestre.

LEIA MAIS | Ceará recebe mais de 66 mil doses da vacina Pfizer nesta sexta

A pandemia e os entraves para quem quer estudar ou trabalhar fora

Após a morte, a família tem até 24 horas para registrar o óbito em cartório, porém, esse prazo foi estendido para 15 dias por causa da pandemia. Já o cartório tem até cinco dias para efetuar o registro de morte e depois até oito dias para enviar o ato à Central Nacional de Informações do Registro Civil, responsável por atualizar a plataforma.

Apesar da marca, o registro de mortes por Covid-19 vem caindo. Em março, a média móvel de mortes no País chegou a 3.357 no dia 30. Foi o ponto mais alto do primeiro semestre. Em junho, essa média ficou entre 1.600 e 2.000 óbitos.