PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Com secretários de Camilo e RC, Sarto reúne empresários do turismo

Candidato do PDT se reuniu com empresários de diversos segmentos relacionados ao turismo. Setor vive crise após a pandemia do novo coronavírus

Carlos Mazza
15:53 | 05/10/2020
Secretário de Turismo do governo Camilo, Arialdo Pinho (direita) esteve com Sarto na reunião desta segunda-feira (Fabio Lima/O POVO) (Foto: Fabio Lima)
Secretário de Turismo do governo Camilo, Arialdo Pinho (direita) esteve com Sarto na reunião desta segunda-feira (Fabio Lima/O POVO) (Foto: Fabio Lima)

O candidato do PDT à Prefeitura de Fortaleza, José Sarto, participou nesta segunda-feira, 5, de reunião com empresários de diversos segmentos do setor do turismo no Ceará. O evento, que apresentou propostas e cobranças do setor ao candidato, foi acompanhado pelos secretários de Turismo de Fortaleza, Alexandre Pereira, e do Ceará, Arialdo Pinho.

“O turismo é muito transversal e atinge mais de 50 setores da economia. Então reunimos aqui mais de 30 lideranças, representantes de pequenos e médios hotéis, promotores de eventos, bares e restaurantes, barracas da Praia do Futuro, escunas e veleiros, guias de turismo, promotores de eventos e associações de agentes de turismo”, explica Alexandre Pereira.

Entre as propostas apresentadas ao candidato, estão por exemplo redução do Imposto sobre Serviços (ISS) em até 2% para serviços de turismo, políticas de redução de tributos para turistas internacionais e uma dotação especial do Orçamento para investimentos no setor. As propostas foram registradas pela equipe que formula o plano de governo do candidato, e poderão figurar ou não no documento em elaboração pela candidatura.

“O que a gente queria era ouvir o setor todo. Já lançamos e acompanhamos alguns projetos para o turismo de Fortaleza e, diante de um cenário de crise econômica, nós temos que nos reinventar”, destaca José Sarto, que aponta a possibilidade de “importar” ideias aplicadas por países que já estão saindo da pandemia para aperfeiçoar o turismo pós-crise em Fortaleza.

Segundo Sarto, que é irmão do vereador e ex-secretário de Turismo de Fortaleza, Elpídio Nogueira (PDT), a reunião foi apenas um “encontro inicial” com o setor e novas conversas podem ocorrer.

Cobranças 

Os empresários do setor fizeram ainda todo tipo de cobrança ao candidato e à atual gestão RC. Um deles, por exemplo, cobrou "maior educação" para que a Autarquia Municipal de Trânsito (AMC) não autue turistas por conta de rápidas paradas para despedidas nas entradas do Aeroporto Pinto Partins. A associação de veleiros também criticou o não cumprimento de uma promessa de instalação de um guichê para a categoria na requalificação da Avenida Beira Mar.

Foram também feitos elogios à gestão, como de barraqueiros da Praia do Futuro, que exaltaram parceria de Roberto Cláudio na batalha judicial que tenta remover as estruturas da faixa de praia. A reclamação que mais ecoou entre os empresários, no entanto, foi pelo controle de vendedores ambulantes na região reformada da Beira Mar. "Não podemos deixar ela ser invadida por esse pessoal, senão não volta mais", disse um empresário.

Mesmo aliado, Arialdo Pinho concordou: "E digo mais, é preciso padronizar os boxes da feirinha da Beira Mar. Porque os ambulantes já estão invadindo a rua dos pedestres". E ainda “puxou a orelha” da Prefeitura: “Fortaleza já foi cidade dormitório para o turista, mas hoje é só ponto de passagem. Eles vão para o Interior, porque falta, entre outras coisas, segurança".

Por conta do novo coronavírus, o turismo é um dos setores da economia cearense que mais teve prejuízos no ano. Segundo dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens Serviços e Turismo (CNC), o setor perdeu no Estado 1,1 mil empresas entre março e agosto deste ano.