PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Morre Dom Pedro Casaldáliga, bispo católico emérito que lutou pelos direitos humanos

Conhecido por lutar pelos direitos humanos e pelos mais pobres, Dom Pedro Casaldáliga, bispo emérito da Prelazia de São Félix do Araguaia (MT), morreu de insuficiência respiratória em Batatais (SP)

12:10 | 08/08/2020
O bispo emérito da Prelazia de São Félix do Araguaia (MT) estava internado em um hospital de Batatais (SP) com insuficiência respiratória
 (Foto: Reprodução.)
O bispo emérito da Prelazia de São Félix do Araguaia (MT) estava internado em um hospital de Batatais (SP) com insuficiência respiratória (Foto: Reprodução.)

Morreu na manhã deste sábado, 8 de agosto, Dom Pedro Casaldáliga, bispo emérito da Prelazia de São Félix do Araguaia (MT). Ele estava internado em um hospital de Batatais (SP) com insuficiência respiratória.

Em nota, a Prelazia de São Félix do Araguaia, a Congregação dos Missionários Filhos do Imaculado Coração de Maria e a Ordem de Santo Agostinho comunicaram o falecimento às 9h40min na cidade de Batatais, estado de São Paulo, Brasil.

O corpo de Dom Pedro Casaldáliga será velado neste sábado, 8, a partir das 15 horas na capela do Claretiano, em Batatais (SP). A missa de exéquias será celebrada no dia seguinte, 9 de agosto de 2020, às 15h e será transmitida ao vivo para quem desejar participar do momento.

A partir do dia 10 de agosto, o corpo de Dom Pedro Casaldáliga será velado no Santuário dos Mártires, em Ribeirão Cascalheira (MT) e posteriormente irá para São Félix do Araguaia (MT) para ser sepultado.

Quem foi Dom Pedro Casaldáliga

Nascido em Balsareny, província de Barcelona, em 16 de fevereiro de 1928, Dom Pedro Casaldáliga foi um bispo católico catalão radicado no Brasil desde 1968.

Em 1968, mudou-se para o Brasil para fundar uma missão claretiana no Estado do Mato Grosso, uma região com um alto grau de analfabetismo, marginalização social e concentração fundiária (latifúndios), onde eram comuns os assassinatos. Foi por causa dessa e de diversas ações que ficou bastante conhecido por defender os direitos humanos, especialmente dos povos indígenas e marginalizados e também por suas posições políticas e religiosas a favor dos mais pobres.

Em vida, escreveu mais de 25 livros durante sua trajetória, além de ter gravado um disco com Milton Nascimento, chamado "Missa dos quilombos", em 1981. A ocasião gerou um documentário que denunciou as consequências da escravidão e do preconceito no Brasil e se transformou numa cerimônia de fé, comunhão, música e ritmo, a partir da atitude revolucionária de membros da Igreja Católica em favor da introdução das referências culturais de diferentes povos na eucaristia.

Clique aqui para assistir a missa de exéquias de Dom Pedro Casaldáliga