PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

"Todo filho é filho da mãe"

| Em produção | Projeto da fotógrafa Lia de Paula retrata diferentes perfis e experiências de mães solo. Conteúdo, reunindo histórias de 20 mulheres, será lançado em agosto em página virtual

11/05/2019 00:35:20
"Todo filho é filho da mãe", Beatriz Braga, Fortaleza, 26/04/2019, Fotos: LiadePaula, (Foto: LIA DE PAULA/DIVULGAÇÃO)

Lia de Paula, 39 anos, teceu uma colcha de imagens a partir de sua própria história. Mãe solo desde os 21, quando descobriu que estava grávida de Lis - sua filha, hoje com 17 anos - a fotógrafa cearense guardou uma frase desde esse tempo. "Você sabe que todo filho é filho da mãe, né?". Improvavelmente e entre abraços, Lia ouviu esse ensinamento de seu pai, o também fotógrafo Silas de Paula. Desse estalo e de todas as lições que acumulou na maternidade, Lia criou um projeto para registrar as presenças, as ausências, as forças e os preceitos da vivência como mãe solo. O conceito ganhou força nos últimos tempos, principalmente em âmbito virtual e em fóruns, e se refere a mulheres que são as principais ou até mesmo as únicas responsáveis pela criação dos filhos. Não há qualquer relação com o estado civil.

Com o projeto contemplado em edital da Secretaria da Cultura (Secult) para incentivo às artes, Lia de Paula começou a fotografar e a gravar depoimentos de mulheres que desempenham a função de mãe solo para seus filhos. Esse é o único quesito necessário para integrar a iniciativa documental - que vai gerar uma página virtual a ser lançada em agosto próximo. Mães de meninas, mães de meninos, mães que já são avós, mães que trabalham, mães que estudam, mães de todas as idades. São muitos os perfis contemplados dentro do projeto - que assumiu, naturalmente, o nome "Todo filho é filho da mãe". Através das redes sociais, Lia tem compartilhado alguns fragmentos de depoimentos e imagens feitos até agora.

O objetivo é registrar as existências de vinte mães. Até agora, quatro mulheres foram fotografadas e o resultado pode ser visto nas imagens dessa página. "Quando a minha filha era pequena, como tive filha muito nova, não se falava em rede de apoio, não tinha internet, não tinha como se conectar. Para mim foi (uma experiência) muito solitária", explica a fotógrafa em entrevista ao O POVO. Nas conversas com as outras mães, entretanto, ela percebeu que muitas das experiências vividas são semelhantes ao que acontece em outras casas, outras famílias, outros pares de mães e filhos. "Cada lugar que eu vou e pessoa que eu converso, o projeto se transforma. E até agosto vai ter algo. Mas não é o fim", elucida Lia.

A página virtual será lançada no dia da fotografia, 19 de agosto, e, segundo Lia, é apenas um primeiro momento de uma pesquisa que ainda vai se desdobrar bastante. Cada mulher fotografada cumpre uma jornada particular no exercício artístico. São recebidas na casa de Lia - até então uma desconhecida - para as séries de conversas e gravações. Mas não é apenas fazer um retrato ou captar alguns depoimentos sobre dificuldades cotidianas. O empreendimento do "Todo filho é filho da mãe" vem carregado de força em suas cores e em suas plantas. "Eu quero um cuidado grande. Não quero uma imagem triste. Quero uma imagem de força. Mas não uma mãe triste. Por mais que seja difícil. Como fotografar a capa da maternidade? Como mostra isso em um retrato? Ainda estou buscando. Fotografia é muita entrega", finaliza Lia de Paula.

Clique na imagem para abrir a galeria

Para conhecer

Veja outras imagens e saiba mais sobre o projeto:

www.instagram.com/todofilhoefilhodamae

www.liadepaula.com

Isabel Costa