PUBLICIDADE
Jornal

Célio Guimarães morre aos 64 anos

|FORTAL|O produtor foi um dos criadores da micareta em Fortaleza, onde ficou até 2003

15/01/2019 01:30:00
NULL
NULL
[FOTO1]

Faleceu na manhã ontem, 14, aos 64 anos, o produtor Célio Guimarães, um dos responsáveis por idealizar o Fortal, um dos maiores carnavais fora de época do Brasil. Até o fechamento desta edição, a causa da morte ainda não havia sido confirmada, mas a suspeita é de que Célio tenha sofrido um infarto enquanto dormia. O produtor deixa cinco filhos e dois netos.

 

Do prédio onde dividia espaço com outras produtoras, Célio foi ganhando respaldo como divulgador da música baiana e levantando a bandeira do axé através da Click Promoções. Em parceria com os sócios Ailton Junior, Enio Carlos e o empresário Colombo Cialdini, criou o Fortal, festa que tomou conta da Beira Mar pela primeira vez em 1992, reproduzindo os moldes das micaretas de Salvador.

 

Célio Guimarães esteve à frente da organização do carnaval fora de época de Fortaleza até 2003, época em que a festa já estava consolidada no calendário festivo da Cidade. "Ele sempre foi apaixonado pelo axé music e sonhava com eventos de grande porte. Em uma das edições, ainda na Praia de Iracema, chegamos a ter 11 blocos na avenida", relembra amigo Colombo Cialdini, em entrevista ao O POVO.

 

Após 12 anos, o Fortal deixou as ruas Beira Mar e foi remanejado para a Cidade Fortal. A produção oficial da micareta deixou de ser feita pela Click Promoções e passou para a Carnailha Promoções. "Mesmo deixando de atuar à frente do Fortal, Célio sempre esteve presente. Todos os anos ele estava pelos camarotes, tinha seus lugares favoritos e curtia com a gente", reafirma Colombo.

 

Nas redes sociais, alguns amigos e colegas de trabalho também manifestaram homenagens e enviaram mensagens de condolências à família do radialista e produtor. Uma delas foi a cantora Verônica Sobreira. Ao O POVO, a vocalista da banda Pimenta Malagueta manifestou tristeza ao falar do amigo, com quem realizava trabalhos desde 1991, quando começou a cantar axé em Fortaleza.

"O Célio abriu muitas portas para nós e para que o axé pudesse se fortalecer na cena musical do Ceará. Nos convidou para abrir shows de vários artistas nos primeiros anos de Fortal, puxando o bloco Araboneco", rememora. 

 

Verônica lembra com carinho também de quando comemorou os dez anos da micareta, ao lado de Célio, na Avenida Beira Mar.

 

O velório aconteceu no fim da tarde de ontem, reunindo amigos e familiares. ( Danielber Noronha/ especial para O POVO )

TAGS