PUBLICIDADE
Jornal

À espera de coisa boa

|plataformas digitais|Mirando no hit para o Carnaval 2019, Glória Groove lança single acompanhado de clipe, na madrugada de hoje para amanhã

09/01/2019 01:30:00
NULL
NULL

[FOTO1]

Jaqueta vermelha, bandana presa na cabeça e muita marra. Gloria Groove está chegando pronta entrar no páreo da disputa para a aguardada música chiclete do Carnaval 2019 - que até agora não se firmou. A drag queen investe todas as fichas em Coisa Boa. A faixa estará disponível em todas as plataformas digitais a partir do primeiro minuto desta quinta-feira, 10, à meia noite. Em Fortaleza, devido ao horário de verão, será possível ouvir o lançamento com uma hora de antecedência.

 

Acompanhando o single, vem o videoclipe inédito, gravado em um presídio desativado que, segundo Gloria, acrescentará "um clima sinistro" à produção. O ritmo escolhido para Coisa Boa foi o funk. Contudo, a cantora aposta no que há de mais novos nos bailes do Rio de Janeiro: o 150 BPM, com uma cadência mais acelerada que o funk carioca, que costuma ter 130 batidas por minuto.

 

O funk não é novidade para a artista de Vila Formosa, São Paulo. Foi com o beat envolvente de Bumbum de Ouro que seu trabalho caiu nas graças do público. Já com Apaga a Luz, veio uma vertente R&B, com clipe que retrata relacionamentos abusivos. Em entrevista ao O POVO, Gloria conta que sempre desejou se destacar como uma artista multifacetada. "Ser uma drag queen também me desperta novos experimentos visuais e estéticos o tempo todo. 

 

Isso se desdobra para além das minhas escolhas vocais e musicais", define.

Além da música, Groove também se aprontou para usar melhor o Carnaval e se destacar em meio à folia. Este será o primeiro ano onde comandará o Bloco das Gloriosas, que será atração nas ruas de São Paulo, durante o período da festa, no início de março.

 

Lançando vários trabalhos em sequência, a artista está assistindo a carreira se propagar cada vez mais, impulsionando-a ao patamar de símbolo LGBTQ , como Lia Clark, Aretuza Lovi e a mais popular, Pabllo Vittar. "Sentir-se legitimamente representado por alguém é uma sensação fantástica. É por isso que hoje tantas pessoas se alegram por terem em alguém como eu algum tipo de referencial", comemora.

 

Apesar do momento fértil para esses artistas no mainstreaming, Gloria Groove diz não estar blindada contra o cenário da "intolerância de sempre", lugar comum para as pessoas que acompanham seu trabalho. Ela coloca a luta em favor da diversidade como um dever constante. "O preconceito é antigo e estrutural, já estava aqui antes de mim e possivelmente ainda estará depois. Cabe a mim usar do meu corpo e minha obra-prima pra alfinetar e estremecer essas estruturas", provoca.

 

Danielber Noronha

TAGS