VERSÃO IMPRESSA

Descobrir Sally Potter

| CARREIRA | Novo filme da cineasta britânica Sally Potter, A Festa, que estreou no Brasil na última quinta-feira, estimula redescoberta da filmografia da diretora

01:30 | 31/07/2018
[FOTO1]

Aos 68 anos e com uma carreira que já soma cinco décadas, Sally Potter é uma das mais importantes cineastas britânicas, ainda que possa não ser extremamente conhecida do grande público. Com oito longas na filmografia, uma série de curtas experimentais e, ainda, trabalhos como diretora teatral, compositora, cantora e coreógrafa, Sally é dona de uma obra que merece atenção pela originalidade e pelos riscos que toma.

 

O filme mais recente da diretora, A Festa, estreou no Festival de Berlim, onde foi aclamado. Na última quinta, 26, o longa estreou em 14 cidades brasileiras, mas ainda não chegou aos cinemas de Fortaleza. Como forma de lançar luz na filmografia da cineasta, o Vida&Arte; elenca alguns dos principais trabalhos de Sally que merecem ser conhecidos.

 

ORLANDO, A MULHER IMORTAL (1992)

Segundo longa da carreira de Potter, o filme é uma adaptação escrita por ela do livro Orlando: Uma Biografia, da escritora Virginia Woolf. Publicado em 1928, o original foca na extensa trajetória de Orlando, personagem que tem o poder da imortalidade e pode mudar de gênero - o livro chegou a ser considerado "inadaptável" para outra linguagem. No cinema, o papel ficou com a atriz Tilda Swinton. O longa foi aclamado pela crítica e indicado a dois Oscar, por direção de arte e figurino.

 

GINGER E ROSA (2013)

O interesse da cineasta em contar e refletir sobre histórias protagonizadas por mulheres encontra material farto na trama do longa, que se passa na Londres de 1962. As personagens-título são duas adolescentes inseparáveis que têm que lidar com problemas familiares e da juventude em meio a intensos eventos políticos e sociais, como a Guerra Fria, as ameaças nucleares e a revolução sexual. O longa está disponível para streaming, aluguel e compra nos serviços Prime Vide, Looke e AppleTV. 

 

UMA LIÇÃO DE TANGO (1997)

Marcadamente experimental na forma, o longa é protagonizado pela própria Sally. Na trama, uma cineasta inglesa conhece um dançarino de tango em Paris. Ele começa a dar aula de dança para ela, que, por sua vez, lhe oferece um papel no filme que está produzindo. Uma Lição de Tango mistura estéticas e utiliza-se de elementos metalinguísticos e de auto-referenciação. O par de Sally na obra é o mundialmente famoso dançarino e coreógrafo Pablo Verón.

 

A FESTA (2017)

Mais recente longa de Potter, o filme mistura comédia e drama com toques políticos. A Festa foi visto como um comentário ácido e satírico sobre questões políticas britânicas, em especial o Brexit, polêmico movimento de saída do Reino Unido da União Europeia. A "festa" do título refere-se a um evento que a política de esquerda Janet (interpretada por Kristin Scott Thomas) promove para comemorar a sua indicação como ministra da Saúde. No entanto, o encontro começa a desandar.

 

JOÃO GABRIEL TRÉZ

TAGS