VERSÃO IMPRESSA

Arte e arquitetura

01:30 | 16/06/2018


O célebre arquiteto romano Vitrúvio afirmou, em seu tratado Dez Livros sobre a Arquitetura (aproximadamente 27 a 16 a.C.), que a forma arquitetônica tem vocação simbólica. As aproximações entre arte e arquitetura são muitas, não é difícil listá-las: em Fortaleza, obras como as dos artistas plásticos Sérvulo Esmeraldo e José Guedes compõem murais, painéis, praças e prédios públicos, integrando-se ao cotidiano da Cidade. O Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, projeto dos arquitetos Fausto Nilo e Delberg Ponce de Leon, inaugurado em 1999, é mais um exemplo dessa união bem-sucedida. Seus espaços abertos e permeáveis permitem a circulação pelos 14 mil m² do espaço e a forte presença de formas triangulares já são tendências pós-modernas. Apesar de admitir as limitações do aparelho, Fausto Nilo considera o CMAC sua maior obra edificada. “No meu trabalho, busco inspiração na arquitetura popular, nas ruas, na cultura acadêmica, na história da cidade e nas artes”, explica o também compositor. Para o pesquisador Ricardo Paiva,“o processo de criação de formas arquitetônicas é semelhante ao processo de criação de formas artísticas. Embora a arquitetura tenha também a dimensão técnica, científica e urbana, conceber um projeto requer subjetividade e a dimensão artística da arquitetura começa já no seu processo de concepção”.

Bruna Forte

TAGS